Despudorado

Para Dilma, Temer é ‘cara de pau’ ao ser contra impeachment de Bolsonaro

Diferentemente do que ocorreu com ela, pedidos de afastamento de Bolsonaro estão lastreados em “crimes de responsabilidade reais”, segundo a ex-presidente

Geraldo Magela/Agência Senado
Golpista, Temer afirmou que o impeachment "está virando moda no país"

São Paulo – Em entrevista ao portal UOL nesta segunda-feira (6), o ex-presidente Michel Temer disse que não enxerga cenário propício para o afastamento de Jair Bolsonaro. Temer afirmou que o impeachment “está virando moda no país”. A ex-presidenta Dilma Rousseff classificou essas declarações como “desfaçatez”, “cara de pau” e “falta de vergonha na cara” do seu sucessor.

“Michel Temer, um dos artífices do golpe, e do impeachment fraudulento, porque sem crime de responsabilidade, com inegável despudor diz que ‘o impeachment não pode virar moda’ e, por isso, Bolsonaro deve ficar”, disse Dilma.

A ex-presidenta lembrou que Temer reconheceu em “seguidos sincericídios” que houve golpe em 2016. “Jamais apoiei e fiz empenho pelo golpe”, disse o ex-presidente, no ano passado, em entrevista ao Roda Viva, da TV Cultura.

A diferença, segundo Dilma, é que os pedidos de impeachment protocolados contra Bolsonaro “não têm a marca e o caráter golpistas”. Para a ex-presidenta, os processos na Câmara que pedem o afastamento de Bolsonaro “se lastreiam em crimes de responsabilidades reais”.

As assinaturas de decretos de créditos suplementares, que ficaram conhecidos como “pedaladas fiscais”, foram utilizadas como pretexto para a sua derrubada.