#ForaBolsonaro

Dia de protestos por #ForaBolsonaro tem ações nas redes e nas ruas

O Dia Nacional de Mobilização #ForaBolsonaro contou com demonstrações de defesa da democracia, alvo do bolsonarismo. Não faltam, no breve histórico do presidente, ataques seus e de seus apoiadores a instituições democráticas

Elineudo Meira / @fotografia.75
Atos foram convocados, especialmente, por partidos de oposição, sindicatos e pelas frentes Brasil Popular e Povo sem Medo.

São Paulo – Movimentos populares, organizações da sociedade civil e lideranças políticas realizaram hoje (10), durante todo o dia, protestos contra o presidente Jair Bolsonaro. Os atos da jornada nacional #ForaBolsonaro tiveram ações nas ruas e nas redes sociais. Os protestos são contra a gestão federal no combate à pandemia de covid-19, maior crise sanitária dos últimos 100 anos. Além de promover desmonte de direitos sociais, trabalhistas e de serviços públicos essenciais, como saúde, educação, saneamento.

As manifestações foram convocadas, especialmente, por movimento sociais que compõem as frentes Brasil Popular e Povo sem Medo. Entre as iniciativas, foi celebrado agora à noite um ato ecumênico por meio de redes sociais. “Bolsonaro precisa ser afastado por ter cometido crime de responsabilidade e atentado contra a saúde e a dignidade humana”, disse Raimundo Bonfim, coordenador nacional da Central de Movimentos Populares.

Além disso, Bolsonaro vê sua família envolvida em esquemas de corrupção e outras acusações sérias, como de envolvimento com milícias do Rio de Janeiro. Enquanto o governo promove trágicas políticas ambientais, propositais, como evidenciado pela fala do ministro do Meio-Ambiente, Ricardo Salles, sobre aproveitar as atenções voltadas para a pandemia para “passar a boiada”.

A jornada #ForaBolsonaro teve também manifestações de defesa da democracia, inclusive em várias cidade do exterior. Não faltam, no histórico do presidente, ataques seus e de seus apoiadores a instituições democráticas, como o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal, e aos opositores.

Repercussões

A unidade foi comemorada pela presidenta do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann (PR). “Torna-se urgente reunirmos as organizações políticas e entidade sociais que estão comprometidas com a democracia para estabelecermos iniciativas conjuntas na defesa do nosso país e dos direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras”, disse, ao defender maior pressão em defesa da aceitação de um dos 40 pedidod de impeachment que estão na mesa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O Psol também se manifestou sobre as mobilizações do #ForaBolsonaro, assinalando o descaso no combate ao coronavírus às mortes de milhares de brasileiros. “Já são mais de 70 MIL MORTES confirmadas por causa da Covid-19. Enquanto isso, caminhamos para 2 MESES sem Ministro da Saúde. Um país à deriva. Um povo à própria sorte. Os canalhas no poder precisam ser tirados de lá para evitar mais mortes.”

Manuela D’Ávila (PCdoB), que lidera uma frente de esquerda na disputa pela prefeitura de Porto Alegre, lembrou o aumento da devastação ambiental sob Bolsonaro. “O desmatamento na Amazônia atingiu novo recorde em junho. Até quando a política ecocida de Bolsonaro seguirá passando sua boiada?”, questionou.