Desconfiança

Datafolha: 64% acreditam que Bolsonaro sabia onde estava Queiroz

Rejeição ao presidente da República é de 44%. Ele segue como o governo mais mal avaliado da história a essa altura de um primeiro mandato

Marcos Corrêa/PR
Bolsonaro não inspira muita confiança à população. Ao todo, 46% dos brasileiros que dizem nunca confiar no presidente

São Paulo – Jair Bolsonaro sabia onde estava escondido Fabrício Queiroz, ex-assessor de seu filho Flávio Bolsonaro, na opinião de 64% das pessoas. A pesquisa foi feita pelo instituto Datafolha e divulgada nesta sexta-feira (26), sobre a prisão de Queiroz, detido em Atibaia, no último dia 18, e a popularidade do presidente.

Apenas 21% dos brasileiros acham que Bolsonaro não sabia sobre o paradeiro do amigo, investigado no esquema das “rachadinhas” da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. Três a cada quatro entrevistados pelo Datafolha afirmaram ter tido ciência do caso.

O instituto ouviu 2.016 brasileiros, por telefone, e 46% não acreditam que o presidente Bolsonaro esteja envolvido no esquema das “rachadinhas”, enquanto 36% afirmam que está.

Fabrício Queiroz é considerado um problema político para Bolsonaro. O ex-assessor de Flávio foi preso na casa de Frederick Wassef, advogado do presidente e também de seu filho. Wassef tinha trânsito livre no Palácio do Planalto.

De acordo com o Ministério Público do Rio de Janeiro, Queiroz operava um esquema de “rachadinha” no qual funcionários seriam coagidos a devolver parte de seus salários, enquanto trabalhava no gabinete de Flávio na Assembleia. O filho de Bolsonaro foi deputado estadual de fevereiro de 2003 a janeiro de 2019 e também é um dos suspeitos do caso.

Aprovação de Bolsonaro estaciona

A pesquisa também mostra que o presidente manteve sua aprovação em 32%, o mesmo índice do fim de maio (33%). A rejeição ao governo é de 44%, ante 43% da última pesquisa, enquanto os que avaliam Bolsonaro como regular estacionaram nos 23%.

Por outro lado, a aprovação de Bolsonaro cai para 15% entre aqueles que acham que o presidente sabia onde Queiroz se escondia, até ser preso na casa de Wassef.

Mesmo com aprovação estável, Bolsonaro não inspira muita confiança à população. Ao todo, 46% dos brasileiros dizem nunca confiar no presidente, enquanto apenas 20% afirmam que sempre confiam e 32% acreditam às vezes.

O Datafolha aponta Bolsonaro como o presidente mais mal avaliado da história a essa altura de um primeiro mandato, desde a volta das eleições diretas, em 1989. Antes de sofrer impeachment, Fernando Collor, com um ano e seis meses de gestão, possuía 41% de rejeição.