investigação

STF pede que PGR analise pedidos de perícia em celulares de Bolsonaro e Carlos

Requerimentos foram apresentados por parlamentares que pedem apuração de possível interferência de Bolsonaro na Polícia Federal

Isac Nóbrega/PR
Notícia-crime foram enviados ao STF depois de Sergio Moro afirmar que presidente Bolsonaro tentou interferir em investigações da Polícia Federal

São Paulo – O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello encaminhou à Procuradoria-Geral da República (PGR) três notícias-crimes contra Jair Bolsonaro. Os requerimentos foram apresentados por parlamentares que pedem investigação sobre a interferência do presidente na Polícia Federal.

Entre as ações solicitadas pelos parlamentares estão o depoimento do presidente, além da busca e apreensão do celular dele e de seu filho Carlos Bolsonaro, para perícia. De acordo com Celso de Mello, é dever do Estado promover a apuração dos fatos delituosos narrados por ‘qualquer pessoa do povo’. O envio da ação à PGR é natural, já que o órgão é responsável por propor investigação do presidente perante o STF.

“A indisponibilidade da pretensão investigatória do Estado impede, pois, que os órgãos públicos competentes ignorem aquilo que se aponta na ‘notitia criminis’, motivo pelo qual se torna imprescindível a apuração dos fatos delatados, quaisquer que possam ser as pessoas alegadamente envolvidas, ainda que se trate de alguém investido de autoridade na hierarquia da República, independentemente do Poder a que tal agente se ache vinculado”, disse o ministro.

Os pedidos de notícia-crime foram enviados ao STF depois de o ex-ministro da Justiça Sergio Moro afirmar que presidente Bolsonaro tentou interferir em investigações da Polícia Federal, além de buscar informações sobre casos em andamento na Corte.