Haja saúde...

‘Confusão’, ‘tanto faz’, ‘oração’: como a saída de Teich repercute nas redes

Políticos, artistas, influenciadores e usuários do Twitter comentaram fracasso do governo em meio à pandemia. #ForaBolsonaro e #aCulpaÉdaChina sobem na rede

Carolina Antunes/PR
#ForaBolsonaro esteve entre os assuntos mais comentados do Twitter, após a demissão de Teich

São Paulo – Após anunciada a saída de Nelson Teich do ministério da Saúde, o nome do agora ex-ministro é o assunto mais comentado do Twitter na tarde desta sexta-feira (15). A capacidade do presidente Jair Bolsonaro de criar confusões diárias, mesmo em meio à pandemia, foi lembrada por políticos e internautas. Diante da crise, quando o número de mortos pelo coronavírus beira os 14 mil, os usuários da rede social clamaram pelo #ForaBolsonaro.

Para o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, que disputou o segundo turno das eleições contra Bolsonaro, “não faz diferença” o nome que venha a substituir Teich à frente do ministério, dada a fritura daqueles que ousam discordar do chefe. E entrar alguém que não discorde, pior ainda. Já o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta, antecessor de Teich, recomendou isolamento, “fé” e “ciência”.

Cloroquina” também figurou entre os temas mais polêmicos, em função da resistência de mais um ministro em acatar a vontade de Bolsonaro na defesa da utilização do medicamento, sem eficácia comprovada, no tratamento de pacientes com a covid-19.

A pesquisadora Monica de Bolle, conhecida por seu pensamento liberal e que tem defendido ação forte no Estado no combate à pandemia, retuitou uma crítica à comparação indevida feita ontem por Bolsonaro. O presidente voltou a pregar o fim do isolamento, como fez o país nórdico, que tem entretanto elevada taxa de letalidade pela covid-19.

Para contra-atacar, bolsonaristas e robôs voltaram a subir a hashtag #ACulpaÉdaChina, com ataques preconceituosos que responsabilizam o país pela disseminação da doença. Mas o tema também reverteu contra, com críticas a Bolsonaro.

Confira reações