Entrevista

Bolsonaro ‘faz tão mal para o Brasil quanto o coronavírus’, diz Lula

Em vez de adotar medidas de combate à pandemia, Bolsonaro ataca as instituições e faz “show de pirotecnia”, afirmou o ex-presidente

Reprodução/Marcos Corrêa/PR
Bolsonaro ataca as instituições com intenção de dar um golpe, segundo Lula

São Paulo – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a criticar, nesta sexta-feira (8), a atuação de Jair Bolsonaro diante da pandemia de coronavírus. Em vez de cooperar com governadores e seguir o que diz a ciência, o ocupante do Palácio do Planalto desrespeita as instituições e faz provocações “todo santo dia”, segundo Lula. “Nós não temos um presidente. O Bolsonaro faz tão mal para o Brasil quanto o coronavírus.”

Além da crise sanitária, o país vive uma crise econômica, que antecede a chegada da doença, além de uma crise institucional, em função dos constantes ataques de Bolsonaro ao Congresso Nacional, ao Supremo Tribunal Federal (STF) e à imprensa. Sobre a marcha de Bolsonaro com empresários ao STF, Lula classificou como mais um “show de pirotecnia”.

O ex-presidente afirmou que são tantos os ataques às instituições da República que o impeachment já deveria estar sendo discutido no Congresso. Ele voltou a defender que o pedido de afastamento deve ser apresentado por entidades representativas da sociedade civil. O motivo, segundo ele, é evitar a partidarização do processo.

“Bolsonaro trabalha todo dia querendo criar confusão. Ele pensa que pode dar um novo golpe e fazer deste um país autoritário. Ele não gosta das instituições, não gosta de negro, de pobre, de índio, das mulheres, não gosta de democracia”, disse Lula em entrevista à Rádio Clube, do Pará.

Ciência e humanismo

“Um presidente que tivesse civilidade e um pouco de humanismo no coração estaria trabalhando com os governadores, junto com um comitê científico, fazendo aquilo que a ciência recomenda. Chamar os empresários para a reconversão industrial, para produzir aqui dentro as coisas que nós precisamos. Mantendo relações civilizadas com outros países, sobretudo a China. O Brasil está isolado. É o país com menos credibilidade internacional”, disse o ex-presidente.

Lula criticou o ministro da Economia, Paulo Guedes, que defende o congelamento dos salários dos servidores públicos, em função da pandemia, mas não repassa os valores que seriam economizados para serem aplicados no combate à doença.

Também fez críticas ao atual ministro da Saúde, Nelson Teich. “Acho que ele nunca clinicou. Nunca entrou numa UPA, numa UBS, nunca atendeu um pobre. Ele não sabe, efetivamente, como é que funciona o Sistema Único de Saúde (SUS), e suas entrevistas chegam a ser vergonhosas.”

Confira a íntegra da entrevista:


Leia também


Últimas notícias