Economia ou vida?

Gleisi pede demissão de presidente do Banco Central por fala ‘genocida’

Em fala a investidores, Roberto Campos Neto defendeu a tese de que isolamento social e proteção de vidas são piores para a economia

Edilson Rodrigues/Agência Senado | Marcelo Camargo/ABr
"Não tem apreço pela vida. Ou desmente ou pede demissão"

São Paulo – A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), cobrou nesta quinta-feira (16) uma posição clara do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, por sua fala a investidores do mercado financeiro. Campos Neto descontextualizou dados de um gráfico elaborado por economistas do Centro de Pesquisas de Política Econômica para defender a tese de que o isolamento social irá aprofundar a recessão.

A fala do presidente do BC foi feita em live organizada pela XP Investimentos. E foi acompanhada ao vivo por mais de 6 mil pessoas no último dia 4, um sábado à noite, informa o site The Intercept Brasil. O título da reportagem é “Presidente do BC diz a investidores que reduzir mortes por coronavírus é pior para a economia”.

Campos Neto teria dito a investidores que reduzir mortes por coronavírus é pior para a economia.

“Esse é um gráfico que muita gente tem comunicado em palavras, que é a troca entre o tamanho da recessão e o achatamento da curva (de contaminação) que você quer atingir. Mostra que, quando você tem um achatamento maior, você tem uma recessão maior e vice-versa”, disse Campos Neto.

Gráfico exibido por Campos Neto para sugerir fim do isolamento: autores dizem que perder vidas para preservar a economia não deve sequer ser uma opção. (Via Intercept)

Agir rápido

“É grave a denúncia. Roberto Campos Neto não tem qualquer apreço pela vida ou pelo povo. Ou desmente ou pede demissão”, disse Gleisi. Roberto Campos Neto é neto do ex-ministro Roberto Campos, um dos expoentes econômicos da ditadura.

O gráfico foi retirado da introdução do livro Mitigating the covid economic crisis: act fast and do whatever it takes (“Reduzindo a crise econômica da covid: agir rápido e fazer todo o possível”, em tradução livre). A obra aponta o caminho inverso do que concluiu Roberto Campos Neto.

Os pesquisadores concluem que a recessão causada pela quarentena é uma “medida de saúde pública necessária”. E que perder vidas para preservar a economia não é uma opção.

Para Gleisi, a declaração de Roberto Campos Neto confirma a política  genocida do governo Bolsonaro. “O Planalto e a equipe econômica não querem salvar vidas. Eles preferem colocar a economia para girar.”


Leia também


Últimas notícias