Preconceito

Lula, sobre frase de Paulo Guedes: ‘Essa gente não suporta a ascensão social dos mais pobres’

Em seminário, ministro disse que, com o dólar baixo, era uma “festa danada” já que empregadas domésticas iam à Disneylândia

Marcelo Camargo/Agência Brasil
Fala do ministro da Economia repercutiu nas redes sociais

São Paulo – Em discurso realizado durante seminário em Brasília, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o dólar alto “é bom para todo mundo” e que, no passado, era uma “festa danada” pois empregadas domésticas iam à Disneylândia. Por meio do Twitter, o ex-presidente Lula se manifestou a respeito da fala. ” É triste, e muita gente acha que exagero quando digo isso. Mas essa gente não suporta nem a ascensão social dos mais pobres, nem o desenvolvimento soberano do Brasil”, postou.

O deputado federal Marcelo Freixo (Psol-RJ) também contestou o discurso do ministro. ” O ódio e o desprezo que Paulo Guedes tem pelos brasileiros pobres é repugnante. Esse banqueiro parasita que fez fortuna fraudando fundos de pensão é a cara do governo Bolsonaro”, afirmou em seu perfil.

O ex-presidenciável do PDT Ciro Gomes também lamentou e criticou a declaração. “Paulo Guedes é incapaz de entender o Brasil e nosso povo. E dentro da sua incapacidade revela todos os seus preconceitos e seu desprezo pelo povo mais sofrido do nosso país.”

“Eu luto muito por um Brasil menos desigual. Já Paulo Guedes quer um Brasil que sirva apenas aos mais ricos. Depois de chamar os servidores de ‘parasitas’, o ministro de Bolsonaro destila novamente seu preconceito. Pare de ofender os trabalhadores!”, conclamou o também deputado federal Alessandro Molon, da Rede-RJ.

Frei David Santos, da ONG Educafro, considerou a fala do ministro “um ato de violência contra os pobres”. “Queremos que Paulo Guedes se retrate diante da sociedade brasileira e, principalmente, diante das nossas irmãs, empregadas domésticas, quase todas negras”, afirmou. “Que governo é esse, que não quer que o pobre tenha bem-estar social?”

Em 30 de janeiro, Guedes atacou servidores públicos. “O cara (funcionário público) virou um parasita e o dinheiro não está chegando no povo”, disse o ministro na sexta-feira (7), no seminário Pacto Federativo, realizado pela Fundação Getúlio Vargas. “O hospedeiro está morrendo, e o cara virou um parasita”, acrescentou. Depois, o ministro pediu desculpas pela fala.




Leia também




Últimas notícias