Home Política Bolsonaro diz ter pego gravações da portaria de condomínio
Obstrução de justiça?

Bolsonaro diz ter pego gravações da portaria de condomínio

"Nós pegamos, antes que fosse adulterada, ou tentasse adulterar", diz presidente. "Isso é crime", diz Fernando Haddad no Twitter
Publicado por Glauco Faria, para a RBA
16:01
Compartilhar:   
Reprodução

Bolsonaro, em visita Pa concessionária, comprou uma motocicleta e deu declaração que pdoe ser incriminatória

São Paulo – Neste sábado (2), o presidente Jair Bolsonaro disse que pegou a gravação das ligações da portaria do Condomínio Vivendas da Barra, onde tem uma casa, durante ida a uma concessionária em Brasília para a compra de uma motocicleta.

“Nós pegamos, antes que fosse adulterada, ou tentasse adulterar, pegamos toda a memória da secretária eletrônica que é guardada há mais de ano. A voz não é a minha”, disse ele, de acordo com o G1.

Moro vazou para a Globo conversa da presidenta da República sob argumento de que ela iria obstruir a Justiça ao nomear Lula ministro. Esse crime de Moro foi decisivo para o golpe de 2016. Bolsonaro confessou publicamente que recolheu material sob investigação. E agora, Sergio Moro?”, questionou no Twitter o líder do PT na Câmara, deputado federal Paulo Pimenta (RS).

Também no Twitter, o ex-presidenciável e ex-prefeito de São Paulo divulgou a notícia relativa à declaração de Bolsonaro e foi taxativo: “Isso é crime”, postou. “Da série o Brasil não é para principiantes: Dilma, rainha da corrupção para os bolsonaristas, sancionou lá em 2013 lei que tipificara obstrução de justiça (p.ex. pegar uma gravação num condomínio). Advinha qual partido questionou a constitucionalidade desse crime no STF? O PSL”, postou o professor da FGV Direito SP Thiago Amparo.

A deputada federal Fernanda Mechionna (RS) também contestou a declaração do presidente. “Bolsonaro confessa que se apropriou de provas sem autorização judicial! Como pode ter acesso à gravação em uma investigação em que seu nome foi citado? Nova perícia, em todo equipamento de telefonia da portaria, é fundamental para esclarecer a verdade!”, afirmou.

Nessa sexta-feira (1º), o Sindicato dos Peritos Oficiais do Estado do Rio de Janeiro (Sindperj) emitiu nota oficial sobre o caso Marielle, afirmando que “a Perícia Técnica Oficial não foi acionada para periciar a mídia apreendida no condomínio Vivendas da Barra”.

“Lamentamos que um evento de grande importância criminal para o país, que envolveu até o Presidente da República, venha a ser apresentado sem o devido processo de comprovação científica. Uma prova técnica robusta e incontestável só pode ser produzida com respeito à cadeia de custódia e com a devida Perícia Oficial da mídia original e do equipamento original no qual foi gravada”, diz o texto.