Falsa

Capa de ‘Veja’ que retoma caso Celso Daniel para incriminar Lula é desmentida

Promotor, delegado e empresário desmontam afirmação de que publicitário Marcos Valério teria afirmado que ex-presidente participou da morte de prefeito de Santo André

Capa da Veja, Celso Daniel, Lula
O empresário Ronan e os portais El País e DCM e a versão da "reportagem" da Veja: é mentira, mais uma vez

Jornal GGN – A capa que a revista Veja produziu em sua última edição, contra o ex-presidente Lula, usando uma suposta delação de Marcos Valério, foi desmentida por três fontes com autoridade no assunto, já no sábado (26) seguinte à publicação.

Veja insinuou que Lula foi mandante da morte do ex-prefeito de Santo André (PT), Celso Daniel, sequestrado e assassinado em 2002. A revista afirma que uma nova delação de Marcos Valério – que está preso em Minas Gerais – associava Lula ao caso.

Leia também: Veja será processada por ‘capa criminosa’ contra Lula, diz PT

O jornalista do Diário do Centro do Mundo, Joaquim de Carvalho, entrevistou o delegado Rodrigo Pinho de Bossi, que tomou o depoimento que Veja usa na matéria.

Bossi está afastado da Polícia Federal por conta de um câncer em estágio avançado, mas declarou ao DCM: “O Marcos Valério jamais disse ‘foi o Lula’. Ele disse que o Ronan (Maria Pinto, empresário do setor de transporte em Santo André) ameaçava dizer que foi ele. São coisas completamente diferentes.”

O El País também publicou com exclusividade no sábado uma matéria com participação do promotor Roberto Wider Filho, que segundo Veja teria recebido a delação de Valério, e enviado ao Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Estado de São Paulo.

Wider Filho admitiu que enviou, sim, o depoimento tomado em outubro de 2018 ao Gaeco. Mas negou que Lula tivesse sido implicado.

“Na minha frente, ele [Valério] não falou isso [que Lula mandou matar Celso Daniel]. Depois, teve um outro depoimento que ele prestou só para o delegado do DHPP (Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa) de Minas Gerais. Não sei se para esse delegado ele falou alguma coisa.”

Por sua vez, Ronan Maria Pinto, que seria a fonte de Marcos Valério, também desmentiu a situação publicada por Veja. De acordo com apuração do El País, o empresário afirmou que Valério delatou inverdades para conseguir algum benefício e sair da prisão.