Home Política Lula deve reconstruir as pontes destruídas pelo atual presidente, diz Boff
desespero do mpf

Lula deve reconstruir as pontes destruídas pelo atual presidente, diz Boff

Para Leonardo Boff, Lava Jato pedir regime semiaberto ao ex-presidente é armadilha e Lula só sai da prisão, inocentado
Publicado por Felipe Mascari
11:29
Compartilhar:   
ricardo stuckert

Apesar de ser um preso político, Lula tem um espírito soberano. 'Ele nunca sentiu raiva de Moro ou Dallagnol, mas está indignado e clama por justiça'

São Paulo – A decisão da equipe da Operação Lava Jato de tentar mudar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para prisão em regime semiaberto é uma armadilha, na avaliação do teólogo, escritor, filósofo Leonardo Boff. De acordo com ele, que esteve com Lula em duas oportunidades, o petista só quer sair quando na condição de inocentado. “Essa progressão só vale para presos que cometeram crime e Lula diz que não cometeu. Se Lula aceitar, significa que ele confessa um crime”, disse.

Em entrevista aos jornalistas Glauco Faria e Jô Miyagui, na Rádio Brasil Atual, Boff afirma acreditar que o Ministério Público Federal (MPF) espera que o Supremo Tribunal Federal (STF) venha a anular o julgamento. “Querem se antecipar para não passar vergonha, porque aplicaram o lawfare contra Lula. Manipularam as leis para condenar politicamente o ex-presidente, por isso ele não aceitará isso o semiaberto“, acrescentou.

Os procuradores Deltan Dallagnol, Roberto Pozzobon e Laura Tessler assinaram o pedido de mudança de regime, na última sexta-feira (27), em meio à grande repercussão da importante derrota sofrida pela Lava Jato, na quinta (26), no STF. Apesar de ser um preso político, Lula tem um espírito soberano, afirmou o teólogo. “Ele nunca sentiu raiva de Moro ou Dallagnol, mas está indignado e clama por justiça. Ele dorme tranquilo e, após visitá-lo, sinto que Lula está cheio de ânimo”, relatou.

Leonardo Boff ainda aponta que o ex-presidente absorveu o golpe judiciário e se reconstruiu. “Essa experiência permitiu a ele duas coisas: uma grande revisão do passado e elaborar melhor a utopia de Brasil. Ele leu pilhas de livros, estudou, e virou um especialista de Brasil. Como é muito inteligente, as projeções dele para o país e o mundo já são outras. Ele vai reconstruir as pontes destruídas pelo atual presidente”, finalizou.