Home Política Lula à BBC: ‘Lava Jato teve coisa boa e não deve ser totalmente anulada’
no aguardo

Lula à BBC: ‘Lava Jato teve coisa boa e não deve ser totalmente anulada’

Em nova entrevista, ex-presidente defende que STF analise cada processo para absolver os inocentes e condenar apenas se houver provas de culpa
Publicado por Fabio M Michel, da RBA
12:40
Compartilhar:   
Ricardo Stuckert

Lula na PF em Curitiba, dá entrevista à BBC: STF tem oportunidade de corrigir desvios de Moro e Dallagnol na Lava Jato

O portal BBC News Brasil publicou na manhã de hoje (29) nova entrevista exclusiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Lula está preso há mais de 500 dias. A entrevista foi marcada por perguntas espinhosas da jornalista Mariana Schreiber sobre disputas internas no PT, governo Dilma, desmatamento, desconfiança quanto ao atentado sofrido por Bolsonaro que o fez consolidar liderança nas eleições, Belo Monte entre outras polêmicas. Lula respondeu todas.

Lula avaliou também o que sinaliza uma mudança de ares no Supremo Tribunal Federal (STF) quanto aos resultados da Operação Lava Jato. Na terça-feira (27), véspera da entrevista, a 2ª Turma da Corte anulou, por três votos a um, a condenação do ex-presidente do Banco do Brasil Aldemir Bendine, por entender que o então juiz Sergio Moro (hoje Ministro da Justiça) não lhe garantiu o amplo direito à defesa ao dar a ele e a delatores o mesmo prazo para alegações finais no processo.

O caso pode servir de precedente para anular a condenação no caso do sítio de Atibaia em primeira instância, retrocedendo em algumas etapas o processo que já está em análise do Tribunal Regional da 4ª Região.

O ex-presidente aguarda ainda julgamentos de recursos que podem cancelar todos os seus processos originados na Justiça de Curitiba, caso o STF considere que Moro e os procuradores da força-tarefa da Lava Jato agiram de forma parcial. Flagrantes de condutas antiéticas e até criminosas vêm sendo revelados pela série de reportagens conhecida como Vaza Jato, a partir de reproduções de conversas em chats privados obtidas pelo The Intercept Brasil.

Ainda na manhã desta quinta-feira, o Intercept publicou conversas que mostram que os procuradores da Lava Jato usaram estrategicamente o vazamento de informações para a imprensa como forma de intimidar suspeitos a fazerem delações premiadas, o que pode contribuir ainda mais para a anulação de processos que tenham base justamente em delações.

“O cara rouba, vem aqui, delata quem roubou, fica com metade e tá livre? Só falta começar a colocar pulseira de ouro no pé das pessoas”


“Vejo um risco da soberania da Amazônia com o discurso do Bolsonaro tentando colocar o filho de embaixador nos EUA, quem sabe para permitir que indústrias americanas venham pesquisar a Amazônia. Temos que defender a Amazônia como patrimônio brasileiro. E para isso temos que cuidar dela”


“Nas eleições de 1989 virei muito grande, sabe o que eu fiz? Criei um instituto, saí da presidência do PT, para poder ter relações com outras pessoas. Por isso que eu acho que o Haddad não pode ser presidente do PT, porque o Haddad teve uma representação maior do que o partido. Ele precisa conversar com essa sociedade além do PT . Ele tem que ser uma personalidade. Por isso pedi para o Haddad não ser presidente, e disse que a Gleisi é a pessoa que tem mais competência hoje para ser presidente””


“Sou de um partido político, e esse partido político trabalha a questão do Lula Livre. E sabe por quê? Porque sabe que sou inocente, sabe que o Moro e o Dallagnol são mentirosos, que o TRF4 me julgou sem ler o processo, e o Superior Tribunal de Justiça me julgou sem ter acesso ao inquérito. Então, o que eu quero é provar minha inocência. E cabe ao meu partido fazer a campanha Lula livre. E isso não impede que o meu partido tenha apresentado um programa no Congresso Nacional discutindo política econômica, discutindo emprego, discutindo política tributária. Acabou de apresentar”


“Sabe quantos anos o Mandela ficou preso até as pessoas se convencerem de que precisava soltar? 27 anos. Jesus Cristo carregou uma cruz, o povo gritando, na passagem dele, e ninguém defendeu ele. Eu tenho o PT que está me defendendo”


“Esse pessoal da Lava Jato foi mordido pela mosca azul. A pior coisa do planeta Terra que foi feito foi o pacto feito pela Globo com a Lava Jato. Passem qualquer mentira, não importa, que a gente vai transformar tudo em verdade. E a Globo é um dos meios de comunicação que disseminou o ódio nesse país desde 2013”


Questionado pela BBC News Brasil se sentia esperançoso sobre o julgamento dos seus recursos no Supremo e se achava que toda a Lava Jato deveria ser anulada, Lula cobrou “seriedade” da Corte para analisar cada processo, avaliar quem é culpado ou inocente com base nas provas e respondeu: “Não, eu acho que a operação Lava Jato tem coisas que foram verdade, tem pessoa que confessou. Se o cara confessou que roubou, o cara é ladrão”.

Lula prossegue sua defesa da Lava Jato como instrumento originalmente criado para combater a corrupção, mas que deve obrigatoriamente seguir as leis e a Constituição. “É só pegar os delatores, porque ficou fácil roubar no Brasil. O cara rouba, vem aqui, delata quem roubou, fica com metade e tá livre? Só falta começar a colocar pulseira de ouro no pé das pessoas, pra pessoa colocar no testamento a pulseira de ouro. Não, eu acho que tem que ter seriedade. Se o cidadão, Luiz Inácio Lula da Silva, cometeu um delito, e tem prova que ele cometeu um delito, não adianta o seu Lula falar grosso, ele tem que ser condenado e tem que ser punido como qualquer cidadão. Assim reza a nossa Constituição. Mas se esse Luiz Inácio Lula da Silva, depois de todas as provas for inocente, humildemente, tem que ser inocentado. E é isso que eu espero deles.”


Confira íntegra da entrevista de Lula à BBC News