Home Política Fundo Amazônia: embaixada alemã humilha Bolsonaro com dados sobre florestas do país
ridicularizado

Fundo Amazônia: embaixada alemã humilha Bolsonaro com dados sobre florestas do país

Vídeo divulgado em resposta às declarações do presidente brasileiro mostra que a Alemanha é um dos países com maior cobertura florestal na Europa
Publicado por Rodrigo Gomes, da RBA
11:28
Compartilhar:   
reprodução

Vídeo divulgado pela Embaixada alemã mostra várias florestas preservadas em parques nacionais do país

São Paulo – “Partiu visitar a natureza alemã?”. O questionamento em tom irônico encerra o vídeo publicado ontem pela Embaixada da Alemanha em Brasília, mostrando a realidade das florestas no país europeu. O filme foi uma resposta às declarações do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), que disse para a chanceler alemã, Angela Merkel, usar o dinheiro do Fundo Amazônia para reflorestar seu próprio país. A Alemanha é o país com mais densidade de florestas no continente, com cerca de um terço do território coberto pelo verde.

“Você sabia que a Alemanha é um dos países mais florestados da Europa? As florestas alemãs são destinos turísticos imperdíveis”, relata a embaixada no vídeo, que traz imagens da Floresta negra e dos Parques Nacionais de Jasmund, da Suíça Saxônica, além de Harz, Bayerischer Wald, Müritz-Nationalpark, que contam com várias espécies de animais e vegetação. Segundo a embaixada, a área verde alemã aumentou cerca de 1 milhão de hectares nos últimos cinquenta anos. A Alemanha bloqueou recentemente uma doação de 35 milhões de euros para o Fundo Amazônia, equivalente a R$ 155 milhões.

Ontem (15), a Noruega também anunciou a suspensão de um repasse de R$ 133 milhões ao fundo. O ministro do Clima e Meio Ambiente da Noruega, Ola Elvestuen, disse considerar uma quebra de acordo a extinção do comitê gestor do fundo pelo governo Bolsonaro. Os dois países já doaram, juntos, cerca de R$ 3,4 bilhões para o programa, mais de 90% vindo do país nórdico. Mas Bolsonaro ironizou o bloqueio dos recursos. “Pegue essa grana e refloreste a Alemanha, ok? Lá está precisando muito mais do que aqui”, disse Bolsonaro, referindo-se diretamente a Merkel.

O desprezo do presidente pelos recursos do Fundo Amazônia se explica, em parte, pelo destino da verba. O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) recebe recursos do Fundo Amazônia para realizar operações de fiscalização contra madeireiros, garimpeiros e o agronegócio irregular. Em três anos, de 2016 a 2018, foram realizadas 466 operações financiadas com esses recursos, utilizados principalmente no aluguel de veículos especiais. Dessas ações resultaram cerca de R$ 2,5 bilhões em multas.

Além disso, cerca de 40% dos recursos são destinados a instituições do terceiro setor, universidades e cooperação internacional, que também atuam para evitar o desmatamento da Amazônia. O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), que monitora e divulga dados sobre desmatamento, é um dos principais destinatários. Ricardo Galvão foi exonerado da direção do Inpe após a divulgação de dados revelando que o desmatamento na Amazônia cresceu 88% em junho, comparado a 2018. Outra parte dos recursos é destinada a programas de governos estaduais.

Leia também

Dados do Imazon mostram tendência de crescimento do desmatamento na Amazônia