Home Política Bebianno se diz magoado e ameaça expor Carlos Bolsonaro após exoneração
Bagunça no governo

Bebianno se diz magoado e ameaça expor Carlos Bolsonaro após exoneração

Ministro, que deverá ser demitido nesta segunda (18), afirma que ciúme do filho do presidente é maior que 'projeto para o país' e que tem 'cartas na manga' contra Carlos, o que pode atingir o governo
Publicado por Redação RBA
07:38
Compartilhar:   
Valter Campanato/Abr – Caio César/CMRJ
Bebianno Carlos Bolsonaro

Ministro e ex-presidento do PSL, Gustavo Bebbiano afirma que Carlos Bolsonaro é ‘pedra no sapato’ do presidente e de um ´projeto para o país’

Jornal GGN – Gustavo Bebianno, o ministro que deverá ser oficialmente demitido da Secretaria-Geral da Presidência pelo presidente Jair Bolsonaro nesta segunda-feira (18), disse que o problema (no governo federal) é o “ciúme exacerbado” de Carlos Bolsonaro, que levaria o vereador do Rio de Janeiro (PSL) a deixar em segundo plano a execução de “um projeto para o país”. Segundo reportagem do jornal O Estado de S.Paulo (Estadão), ao conquistar espaço junto ao pai presidente, Bebianno teria virado alvo de Carlos.

A exoneração do ex-presidente do PSL e coordenador da campanha de Bolsonaro é esperada para esta segunda-feira (18), mas a edição oficial do Diário Oficial da União, publicada na manhã desse dia não continha a publicação, o que pode ser feita em edição extraordinária durante o período.

Ainda segundo a reportagem Bebianno está magoado por Carlos o ter chamado publicamente de mentiroso, nos desdobramentos de denúncias de que o PSL, sob comando de Bebianno, montou um esquema de candidaturas laranjas para receber recursos públicos do fundo partidário.

Afirma o jornal, que o ministro só se refere ao vereador com adjetivos que desqualificam sua capacidade intelectual. E ameaça ter “cartas na manga” para expor Carlos, com sérios prejuízos para o Presidente da República.

Conforme escreveu o jornalista Gerson Camarotti, em seu blog no G1, Bebianno teria feito um desabafo demonstrado arrependimento por ter sido um incentivador da candidatura de Jair Bolsonaro e por ter “trabalhado ativamente” pela sua eleição. “Preciso pedir desculpas ao Brasil por ter viabilizado a candidatura de Bolsonaro. Nunca imaginei que ele seria um presidente tão fraco”, escreveu Camarotti, em post publicado no domingo (17).

Por sua vez, também no domingo, o colunista Lauro Jardim, afirmou no jornal O Globo, que Bebianno “perdeu a confiança” no presidente. “Tenho vergonha de ter acreditado nele. É uma pessoa louca, um perigo para o Brasil. O Estadão afirma que o ministro não deu tal declaração.