mais um

Novo recuo: governo Bolsonaro suspende nomeação de diretor responsável pelo Enem

Murilo Resende Ferreira, defensor do Escola Sem Partido, havia sido nomeado na quarta-feira (16). Governo ainda não divulgou motivo da saída

Reprodução/Youtube
Murilo Resende Ferreira

Murilo chegou a chamar os professores brasileiros de ‘manipuladores’ que não querem ‘estudar de verdade’

São Paulo – O governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) fez mais um recuo e, nessa quinta-feira (17), suspendeu a nomeação do economista Murilo Resende Ferreira para coordenar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). 

A nomeação de Murilo havia sido publicada em edição extra do Diário Oficial da União na noite de quarta-feira (16), por meio de uma portariaassinada pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. Também em edição extra, Onyx assinou outra portaria para deixar “sem efeito” a nomeação de Resende, mas não divulgou o motivo.

O economista é defensor do programa Escola Sem Partido e crítico do que classifica como “ideologia de gênero”. Durante uma audiência pública do Ministério Público Federal de Goiás (MPF-GO), em 2016, ele chegou a chamar os professores brasileiros de “manipuladores” que não querem “estudar de verdade”.

Murilo havia sido nomeado para o cargo responsável pela coordenação do Enem antes mesmo da nomeação do novo presidente do Inep – posto vago desde a última segunda-feira (14), quando Maria Inês Fini foi exonerada. A movimentação foi vista com estranheza por funcionários do Inep, de acordo com o jornal Folha de S.Paulo.

Leia também

Últimas notícias