'mudar isso aí'

Antes da posse, Bolsonaro recebeu R$ 33,7 mil de auxílio-mudança como deputado

Mesmo sem quase comparecer à Câmara, o agora presidente acumulou rendimento de R$ 84,3 mil em dezembro. Verba também foi paga a cinco deputados que viraram ministros

Marcelo Camargo/Agência Brasil
Bolsonaro

Bolsonaro não respondeu se considera adequado o recebimento do benefício, nem se houve gasto com mudança

São Paulo – O agora presidente, Jair Bolsonaro (PSL), recebeu auxílio-mudança de R$ 33,7 mil da Câmara dos Deputados, em dezembro, três dias antes de renunciar ao mandato de parlamentar para assumir o cargo. Somando salário, outras verbas, metade do 13º e o benefício, Bolsonaro acumulou rendimento bruto de R$ 84,3 mil no último mês do ano.

O valor do auxílio-mudança corresponde a um salário nominal adicional pago aos deputados no início e no fim dos mandatos. De acordo com o decreto legislativo que regulamenta o auxílio-mudança, a verba é destinada para “compensar” despesas de mudança e transporte dos parlamentares.

A Presidência da República não respondeu se ele considera adequado o recebimento do benefício, nem se ele teve gastos comprovados com mudança de endereço recentemente.  

Outros quatro ministros de Bolsonaro que também eram deputados – Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS), da Saúde, Osmar Terra (MDB-RS), da Cidadania, Marcelo Alvaro Antônio (PSL-MG), do Turismo, e Tereza Cristina (DEM-MS), da Agricultura – também receberam o auxílio.

Tereza Cristina foi a única que notificou à Câmara para não receber novamente o benefício, no início da próxima legislatura, já que foi reeleita deputada e, segundo entendimento da Casa, teria direito a novo crédito, em fevereiro. Segundo o jornal Folha de S.Paulo, a ministra da Agricultura afirmou que pretende devolver os valores recebidos em dezembro.

Entre os deputados, apenas Bohn Gass (PT-RS), Fábio Trad (PSD-MS), Heitor Schuch (PSB-RS), Major Olímpio (PSL-SP) e Mara Gabrilli (PSDB-SP) abriram mão do benefício.