Golpistas, FHC e Temer votam ‘defendendo’ a democracia no Brasil

'Quem ganhar ganhou, quem perder perdeu”, disse ex-presidente tucano. Temer, que chegou ao poder pelo golpe, destacou crença na união dos brasileiros após o resultado eleitoral

arquivo pessoal/twitter
Eleições 2018 Temer

Michel Temer, após votar na capital paulista: apesar de golpista, afirmações de ‘confiança na democracia’

São Paulo — Após votar em um colégio de Higienópolis, bairro da região central de São Paulo, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), que apoiou o impeachment contra Dilma Rousseff disse à imprensa acreditar que a democracia está “enraizada” no Brasil, com imprensa livre e o Congresso atuando.

“Há uma cultura democrática, as pessoas aprendem a votar, votam com liberdade”, afirmou o ex-presidente, que votou logo após a abertura das urnas, às 8h deste domingo (7). “O importante é não discutir o resultado. Quem ganhar ganhou, quem perder perdeu”, afirmou.

Fernando Henrique disse que votou em seu colega tucano Geraldo Alckmin (PSDB), e também previu que a disputa eleitoral continuará no segundo turno. Questionado quem iria apoiar num eventual segundo turno entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), preferiu não antecipar sua posição. 

“Você acha que eu nasci ontem para dizer agora em quem vou votar no segundo turno?”, disse o ex-presidente.

Também na manhã deste domingo (7), o atual presidente Michel Temer (MDB) votou no colégio Santa Cruz, localizado no bairro Alto de Pinheiros, zona oeste de São Paulo. Disse estar otimista com o exercício democrático no país, e que acredita numa eleição “tranquila”, sem problemas.

“Quem for eleito, é a vontade do povo”, afirmou, enfatizando acreditar na “união dos brasileiros” após o pleito eleitoral.

Leia também

Últimas notícias