Dia do voto

Cabo Daciolo vota e ‘sobe ao monte para agradecer a vitória’

'Eu acredito que vamos ganhar esta eleição no primeiro turno, com 51% dos votos', afirmou o candidato do Patriotas. Marina e Meirelles preferiram não dizer quem apoiarão num eventual segundo turno

Zô Guimarães/Folhapress
Eleições 2018 Daciolo

Candidato do Patriotas vota em sessão eleitoral no Rio. Candidatos menos cotados não revelam quem apoiarão no segundo turno

São Paulo – Com a bíblia na mão e aos gritos de “glória a Deus” proferidos por apoiadores, o candidato  à Presidência da República, Cabo Daciolo (Patriota), votou na manhã deste domingo (7) no Centro Educacional das Américas, no Recreio dos Bandeirantes, zona oeste do Rio de Janeiro, pelas eleições 2018. Ele voltou a mostrar-se confiante na vitória, como profetizou em debate no SBT, em setembro.

“Eu acredito que vamos ganhar esta eleição no primeiro turno, com 51% dos votos. Eu estou indo para o monte agora. As pessoas não vão conseguir falar comigo, porque lá [celular] não pega nada. Mas amanhã eu estou de volta para agradecer a Deus pela vitória. Por volta de 13h devo estar chegando em casa”, afirmou Daciolo, que registrou seus votos em menos de um minuto. 

A presidenciável pela Rede, Marina Silva, votou no Instituto de Colonização e Reforma Agrária (Incra), em Rio Branco, capital do Acre, por volta das 11h35 (horário de Brasília). Mesmo com 2% das intenções de voto, segundo o Datafolha, a candidata acredita ir ao segundo turno. “Estou feliz de ter feito uma campanha limpa, com propostas e sem agressão.” 

Ela criticou a polarização das eleições, que classificou como “populismo da esquerda e da direita”. Ainda depois de seu voto, Marina disse que só decidirá o apoio no segundo turno após o fim da apuração. “Colocamos as alternativas na mesa e respeitamos a vontade da democracia”, finalizou.

O presidenciável pelo MDB, Henrique Meirelles, votou no colégio Rio Branco, em Higienópolis, bairro na região central de São Paulo. Com apenas 3% das intenções de votos, segundo o Datafolha, Meirelles pregou respeito ao voto do povo e aos direitos fundamentais. “Eu posso não ganhar o seu voto, mas eu vou ganhar o seu respeito.” 

Questionado por um possível apoio a Jair Bolsonaro (PSL) no segundo turno, Meirelles desconversou. “Todos podem especular com hipóteses. São meramente colocações teóricas. Cada um vai ter que se posicionar no segundo turno”, disse, ao sinalizar preferir aguardar o resultado das urnas. 

Álvaro Dias, candidato do Podemos, votou no Colégio Mãe de Deus, em Londrina (PR). Sem afirmar que espera ir ao segundo turno sua ida para o segundo turno, ele criticou o modo como se faz política no Brasil, ao privilegiar uns candidatos em detrimento de outros. Segundo Álvaro Dias, a campanha é “antidemocrática, desonesta e injusta”, porque os candidatos não têm as mesmas oportunidades para participar de entrevistas e debates.

O candidato do Novo à Presidência, João Amoêdo, votou no Rio de Janeiro, em uma zona eleitoral no Leblon, zona sul da cidade. Com 3% das intenções de voto, ele descartou eventual apoio a Haddad no segundo turno e disse que vai avaliar se apoiará Bolsonaro. “O PT está muito desalinhado em todo esse tempo com os ideais do Novo”, explica. 

Vera Lúcia, candidata à presidência pelo PSTU, votou pela manhã, em Aracaju. Ela chegou ao local, por volta das 10h, acompanhada de militantes do partido. “Fizemos uma campanha bastante vitoriosa. Apresentamos aos trabalhadores do Brasil, principalmente aos mais pobres, uma saída para nossa classe, que leva em conta a situação atual”, declarou.