Eleições 2018

TSE nega pedido do PSL para proibir participação de Lula em propaganda

Ministros avaliaram que não há irregularidade na participação do ex-presidente como apoiador em propagandas de candidatos no horário eleitoral gratuito

reprodução/Youtube
lula

Respeitando o tempo legal, propaganda com a imagem de Lula não é considerada irregular, segundo decisão do TSE

São Paulo – O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negou ontem (18) um pedido da coligação do candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL/PRTB) pela suspensão de uma propaganda da campanha de Fernando Haddad (PT) em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aparece falando sobre a situação do país. Segundo os ministros, respeitado o limite de ocupação de até 25% do tempo do programa, não há ilegalidade em Lula aparecer como apoiador em propagandas de candidatos no horário eleitoral gratuito.

Segundo informa o site Jota, os ministros Luís Roberto Barroso, Jorge Mussi e Tarcísio Vieira de Carvalho defenderam que o ex-presidente, embora tenha tido a candidatura negada pelo mesmo TSE, não teve os direitos políticos cassados. A condenação na Operação Lava Jato ainda não transitou em julgado, única circunstância em que haveria a perda dos direitos políticos.

Os ministros Carvalho e Mussi acompanharam o voto. A representação da campanha de Bolsonaro alegava irregularidade na propaganda eleitoral gratuita na televisão, transmitida em 6 de setembro pela campanha de Haddad, em que Lula faz críticas à gestão Temer. “Foram feitas propostas do partido”, ressaltou a presidenta do TSE, ministra Rosa Weber.

Na peça, o ex-presidente aparece como personagem de abertura, comentando a situação do país após o golpe de 2016 e as medidas tomadas pelo governo do presidente Michel Temer.

“Minhas amigas e meus amigos, nós fizemos um país em que cabia todo mundo. Eles deram um golpe pra fazer um país em que só eles cabem. Nesse governo ilegítimo, o trabalhador não cabe na folha de pagamento e o aposentado não cabe nas contas da Previdência. Eles acham que o povo é o problema, eu continuo afirmando que o povo é a solução”, diz Lula. Outras pessoas surgem na sequência comentando as perdas de direitos sociais.