Indignação

Lula manda carta a general Mourão: ‘Faça um curso sobre humanismo’

'Eu e sete irmãos fomos criados por uma mulher analfabeta chamada Dona Lindu e duvido que exista alguém que educou os filhos melhor do que ela. Pode ter igual, melhor nunca'

Charles Sholl/Raw Image/Folhapress
General Mourão

‘Essa candidatura de dois desajustados (Bolsonaro e Mourão) merece a rejeição que tem’, criticou Guilherme Boulos

São Paulo – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou a declaração do general da reserva Hamilton Mourão (PRTB), vice na chapa de Jair Bolsonaro (PSL) à Presidência, ao dizer que as famílias pobres só com mãe e avó são “fábricas de desajustados”. Em carta, Lula classificou o conceito do general como medíocre. “Um conselho, faça um curso sobre o Humanismo”, escreveu.

“Eu e sete irmãos fomos criados por uma mulher analfabeta chamada Dona Lindu e duvido que exista alguém na sociedade brasileira que educou os filhos melhor do que ela. Pode ter igual, melhor nunca”, relembra o ex-presidente.

O general afirmou que a falta de homens em casa faz os filhos tenderem a entrar no crime organizado. Para Lula, com pensamentos como esses, o candidato à vice-presidente não poderia ter chegado ao cargo que ocupou no Exército, muito menos na política. “Se o senhor já pensava assim não deveria ter chegado a general e muito menos querer ser vice-presidente”

Leia a íntegra da mensagem de Lula ao general:

Curitiba, 19 de setembro de 2018

“General Mourão, não julgue avós e mães pobres pelo seu conceito medíocre sobre a espécie humana. Se o senhor já pensava assim não deveria ter chegado a general e muito menos querer ser vice-presidente. 

Eu e sete irmãos fomos criados por uma mulher analfabeta chamada Dona Lindu e duvido que exista alguém na sociedade brasileira que educou os filhos melhor do que ela. Pode ter igual, melhor nunca. 
General, um conselho, faça um curso sobre o Humanismo.”

Lula

A declaração do vice de Bolsonaro teve muitas reações nas redes. Manuela D’Ávila (PCdoB), candidata a vice na chapa de Fernando Haddad (PT), disse considerar a fala um desrespeito com as mulheres que criam os seus filhos e superam diversas ausências, além da figura paterna. “Elas superam a ausência do Estado, da creche e de investimentos públicos em políticas que emancipem essas mulheres. É um desrespeito total ao nosso país. Porque o Brasil é construído pelo esforço dessas mulheres”, afirmou.

A jornalista Rachel Sheherazade, conhecida por ter posicionamentos à direita, também se posicionou contra. “Sou mulher. Crio dois filhos sozinha. Fui criada por minha mãe e minha avó. Não. Não somos criminosas”, publicou em seu Twitter, finalizando com a tag #EleNão.

O candidato à Presidência pelo Psol, Guilherme Boulos, associa a declaração de Mourão com a rejeição de Bolsonaro – que chega a 42%, segundo o Ibope. “Desrespeita milhões de brasileiras chefes de família e milhões de pessoas que foram criadas por suas mães e avós. Essa candidatura de dois desajustados merece a rejeição que tem”, disse.

O escritor Marcelo Rubens Paiva lembra que a figura paterna foi tirada de sua casa durante a ditadura civil-militar. “Mourão afirma nas entrelinhas que mulher não sabe criar filhos. Fui criado pela minha mãe e irmãs, porque a ditadura matou meu pai aos 11 anos, e meu avô morreu de tristeza dois anos depois”, publicou. 

Arquivo pessoal eleiçoes 2018 lula lindu
Lula, ao meio, ao lado da mãe, Lindu (esq.), que criou oito filhos sozinha