Você está aqui: Página Inicial / Política / 2018 / 09 / Datafolha: Bolsonaro ainda lidera. Haddad cresce e empata com Ciro, e Marina cai

Eleições 2018

Datafolha: Bolsonaro ainda lidera. Haddad cresce e empata com Ciro, e Marina cai

Candidato do PSL tem 26%. Petista subiu para 13%, mesmo percentual de Ciro Gomes. O tucano Alckmin tem 9% e a candidata da Rede, 8%. Em um mês, Haddad triplicou suas intenções de voto
por Redação RBA publicado 14/09/2018 19h21, última modificação 14/09/2018 19h55
Candidato do PSL tem 26%. Petista subiu para 13%, mesmo percentual de Ciro Gomes. O tucano Alckmin tem 9% e a candidata da Rede, 8%. Em um mês, Haddad triplicou suas intenções de voto
Datafolha

Candidato do PSL oscilou 2 pontos. Ciro ficou igual. Haddad foi o único a subir acima da margem de erro e Alckmin segue em queda, assim como Marina

São Paulo – Pesquisa do instituto Datafolha divulgada na noite desta sexta-feira (14) mostra o candidato Jair Bolsonaro (PSL) ainda à frente, com 26%, mas com crescimento de Fernando Haddad, agora confirmado como candidato do PT, que foi a 13%, empatando com Ciro Gomes (PDT). 

Mais atrás, Geraldo Alckmin (PSDB) aparece com 9%. Em declínio, Marina Silva (Rede) tem 8%.

Bolsonaro oscilou dentro da margem de erro, já que no levantamento anterior tinha 24%. Ciro Gomes ficou com os mesmos 13%, enquanto Haddad ganhou 4 pontos, de 9% para também 13%. Em agosto, tinha 4%. Assim, em um mês, o petista triplicou as intenções de voto.

Já Alckmin oscilou de 10% para 9%, enquanto Marina foi de 11% para 8%. A comparação é ainda mais desfavorável para a candidata da Rede em relação a agosto, quando ela aparecia com 16%. 

Encomendada pelo jornal Folha de S. Paulo e pela TV Globo, a pesquisa foi feita entre quinta-feira e hoje. Segundo o Datafolha, foram ouvidos 2.820 eleitores em 197 cidades. A margem de erro é de 2 pontos percentuais.

Entre os demais candidatos, Álvaro Dias (Pode), Henrique Meirelles (MDB) e João Amoêdo (Novo) figuram com 3% cada. Com 1%, estão Cabo Daciolo (Patriota), Guilherme Boulos (Psol) e Vera Lúcia (PSTU). Os candidatos Eymael (DC) e João Goulart Filho (PPL) não pontuam. Votos em branco ou nulos somam 13%, enquanto 6% disseram não saber ou não responderam. 

Bolsonaro segue sendo o candidato mais rejeitado: 44% dos entrevistados disseram que não votariam nele de jeito nenhum. Marina aparece em segundo, com 30%. Haddad tem 26%, Alckmin, 25% e Ciro, 21%.

Nas diversas simulações de segundo turno, Bolsonaro perde para Alckmin, Ciro e Marina, e fica pouco acima de Haddad, mas sempre em situação de empate técnico. Em todos os cenários, o petista mostra crescimento.

Entre Marina e Bolsonaro, a candidata da Rede tem 43%, ante 39% do representante do PSL. Alckmin vence por 41% a 37% e Ciro ganha por 45% a 38%. Numa disputa entre Haddad e Bolsonaro, o petista tem 40%, ante 41% de seu adversário.

Ciro também leva vantagem contra Alckmin (40% a 34%), Marina (44% a 32%) e Haddad (45% a 27%). No confronto entre Marina e Alckmin, o tucano "virou" e agora aparece à frente, 36% a 33%.

Contra Haddad, o tucano tem 40%, ante 32% do petista. Mas essa vantagem já foi bem maior: era de 43% a 20% em agosto. Isso também acontece entre Marina e Haddad: agora, a candidata da Rede venceria por 39% a 34%. Antes, por 42% a 31%.