Você está aqui: Página Inicial / Política / 2018 / 09 / 'Com apoio de Lula, Haddad vai para o segundo turno', diz analista do Diap

Eleições 2018

'Com apoio de Lula, Haddad vai para o segundo turno', diz analista do Diap

À Rádio Brasil Atual, diretor do instituto avaliou que próximas pesquisas de intenção de votos devem trazer dois fenômenos: a entrada de Haddad na disputa e ausência de Bolsonaro em sua campanha
por Redação RBA publicado 12/09/2018 14h18, última modificação 12/09/2018 14h50
À Rádio Brasil Atual, diretor do instituto avaliou que próximas pesquisas de intenção de votos devem trazer dois fenômenos: a entrada de Haddad na disputa e ausência de Bolsonaro em sua campanha
Ricardo Stuckert/Reprodução
Haddad campanha

Analista do Diap calcula que o candidato do PT deve chegar ao segundo turno com 22% das intenções de voto

São Paulo – Na avaliação do analista político e diretor do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) Antônio Augusto de Queiroz, as próximas pesquisas de intenção de voto para presidente da República devem apontar o crescimento do candidato do PT, Fernando Haddad, indicando a possibilidade de ele passar para o segundo turno. À jornalista da Rádio Brasil Atual Marilu Cabañas, ele ponderou que Haddad deve receber cerca de 35% dos votos que seriam destinados ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Na proporção final, segundo os cálculos do especialista, Haddad pode acumular 22% das intenções de voto – ultrapassando todas as outras siglas, com exceção de Jair Bolsonaro (PSL), que atualmente varia entre 24% a 26%.

"Tudo indica que ele vai para o segundo turno tanto pela qualidade do candidato e por ser uma candidatura muito competitiva", afirma Queiroz, em referência ao petista. Para ele, as próximas pesquisas devem apontar ainda o impacto da ausência de Bolsonaro na campanha, o que é determinante para fidelizar seus apoiadores.

Isso explica, de acordo com o diretor do Diap, o índice de 26% registrado pela pesquisa eleitoral do Ibope que realizou a avaliação entre os dias 8 e 10, período de comoção em relação ao ataque sofrido por Bolsonaro em Juiz de Fora (MG). Segundo ele, na comparação com o levantamento do Datafolha, no dia 10, o candidato do PSL perde 2% dos votos.

Ouça a entrevista completa: