Você está aqui: Página Inicial / Política / 2018 / 08 / 'O nome disso é censura', afirma Lula sobre exclusão no debate

Eleições 2018

'O nome disso é censura', afirma Lula sobre exclusão no debate

Ex-presidente protesta por não participar do programa organizado pela Band nesta quinta-feira
por Redação RBA publicado 09/08/2018 20h11, última modificação 09/08/2018 20h15
Ex-presidente protesta por não participar do programa organizado pela Band nesta quinta-feira
facebook
lula para o debate da band.jpeg

Em carta, ex-presidente defende presença de 'todas as forças políticas' nos debates eleitorais

São Paulo – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) encaminhou carta à TV Bandeirantes protestando contra sua exclusão do debate dos candidatos à Presidência que será realizado na noite desta quinta-feira (9). Segundo Lula, a decisão da emissora "viola o direito do povo brasileiro e também dos outros candidatos de discutir as propostas da minha candidatura e até de me criticarem olhando na minha frente, e eu tendo o direito de responder". 

Ele lembrou que sua candidatura lidera as pesquisas, mas ainda assim é impedida de debater com as demais. A postura da rede viola também a liberdade de imprensa, afirmou. "O nome disso é censura."

Lula reafirmou que é candidato porque não cometeu nenhum crime e tem compromisso "com este povo que, em 2010, ao final de meu mandato, concedeu-me o maior índice de aprovação de um presidente na história deste país". E defendeu um debate democrático, com todas as forças políticas.

 

Leia a íntegra da carta:

A decisão de me excluir do debate entre os presidenciáveis, promovido pela Band, viola o direito do povo brasileiro e também dos outros candidatos de discutir as propostas da minha candidatura e até de me criticarem olhando na minha frente, e eu tendo o direito de responder.

A candidatura que lidera as pesquisas é impedida de debater com as demais suas propostas e ideias defendidas por milhões de brasileiros. Viola também a liberdade de imprensa, impedindo que um veículo de comunicação cumpra seu dever de informar, e proibindo o público de exercer seu direito de ser informado. O nome disso é censura.

Sou candidato porque não cometi nenhum crime e tenho compromisso com este povo que, em 2010, ao final de meu mandato, concedeu-me o maior índice de aprovação de um presidente na história deste país, com 87% de avaliação positiva. O Brasil precisa debater seu futuro de forma democrática. Ter eleições onde o povo, que já viveu dias melhores em um passado recente, possa escolher que caminho quer para o país, com a participação de todas as forças políticas da nação.


Luiz Inácio Lula da Silva