Companheirismo

Lula agradece MST e CUT por marcha a Brasília pela sua candidatura

Ex-presidente enviou agradece aos militantes pela Marcha Nacional Lula Livre, que seguiu até Brasília para acompanhar o registro de sua candidatura ao Planalto

Heinrich Aikawa/IL
lula nos 30 anos do mst.jpg

Lula participa da solenidade de 30 anos do MST, em 2015

BdF – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, detido há 137 dias na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, enviou cartas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e à CUT (Central Única dos Trabalhadores), datadas desta terça-feira (21), em que agradece à militância do movimento e da central pela realização da Marcha Nacional Lula Livre, que reuniu dezenas de milhares de  pessoas em Brasília para acompanhar o registro de sua candidatura no último dia 15 de agosto.

“Quando soube da multidão de companheiros que foi para a frente do Tribunal Eleitoral naquele dia, tive vontade de abraçar cada um que saiu de casa com sua família nessa grande jornada. Quantos quilômetros de marcha, debaixo de sol e de chuva! Quantos quilômetros pelas estradas, viajando em ônibus onde o único conforto era a esperança”, escreveu Lula ao MST.

“Companheiro Vagner, tenho certeza de que você e outros membros da direção se empenharam muito para fazer do dia 15 de agosto um marco histórico na luta dos trabalhadores e trabalhadoras por um país melhor e mais justo” afirmou à CUT, dirigindo-se diretamente a Vagner Freitas, presidente  da central.

Lula pede ainda que Freitas leve um abraço e o seu agradecimento, pelo empenho em participar das manifestações populares pela democracia e pela sua liberade. “Serei sempre grato a cada um e a cada uma pelo sacrifício que fizeram e pela dedicação nesta jornada. Nada nem ninguém poderá abalar o nosso compromisso com um país melhor e mais justo”, encerra.

Leia a íntregra da mensagem de Lula ao MST:

Aos companheiros e companheiras do MST,

Quero agradecer de coração o grande esforço de cada um de vocês para tornar o registro de nossa candidatura um ato histórico, como foi de fato o último dia 15 de agosto. E isso não teria sido possível sem a combatividade e a consciência política do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra.

Nós estamos juntos desde o começo, desde as primeiras ocupações, nas horas mais difíceis e nas grandes conquistas. E a cada dia admiro mais a força desse movimento, que veio para transformar a vida dos trabalhadores e transformar esse nosso Brasil num país mais justo.

Quando soube da multidão de companheiros que foi para a frente do Tribunal Eleitoral naquele dia, tive vontade de abraçar cada um que saiu de casa com sua família nessa grande jornada. Quantos quilômetros de marcha, debaixo de sol e de chuva! Quantos quilômetros pelas estradas, viajando em ônibus onde o único conforto era a esperança.

Eu peço aos companheiros da direção, ao João Pedro, ao João Paulo e tantos outros, que sejam os portadores da minha eterna gratidão a cada trabalhador e trabalhadora do MST. E levem um abraço muito especial e carinhoso ao Jaime Amorim, que está se sacrificando junto com outros companheiros na greve de fome em Brasília.

É nas horas mais difíceis que a gente conhece os verdadeiros amigos. Enquanto Deus me der vida, jamais vou me esquecer do que vocês fizeram pelo Brasil e pela Democracia. E tenho certeza de que a história vai registrar o exemplo de coragem e de amor ao nosso país que o MST vem demonstrando em todos os momentos dessa luta.

Podem ter certeza de que vocês fortaleceram ainda mais o nosso compromisso com a transformação da vida do povo brasileiro. Esse compromisso é para sempre e nada vai impedir que a nossa luta seja vitoriosa.

Um grande e fraterno abraço do

Luiz Inácio Lula da Silva 

Curitiba, 21 de agosto de 2018

Leia reprodução da carta enviada por Lula à CUT

Companheiro Vagner Freitas