Movimentações

Gleisi elogia Marília Arraes, mas defende aliança com PSB, PCdoB e PDT

Segundo a presidenta do PT, entendimento com o PSB vem sendo buscado desde o ano passado. Gleisi também considerou o nome de Manuela D'Ávila como vice, e não descarta aliança com o PDT de Ciro Gomes

Ricardo Stuckert
Gleisi

Gleisi defendeu “articulação de centro-esquerda” para enfrentar o desmonte dos direitos sociais

São Paulo – A presidenta nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), afirmou nesta quinta-feira (2) que o partido continua em conversas com PCdoB, PDT e PSB para a formação de uma aliança “progressista e popular” para enfrentar o “golpe” e os “retrocessos” do governo Temer. Ela diz que o nome a ocupar o cargo de candidato a vice na chapa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva só deverá ser definido no dia 14 pela executiva do partido, um dia antes da data final para o registro oficial das candidaturas. 

Sobre o acordo com o PSB, que resultou na retirada da vereadora recifense Marília Arraes da disputa para o governo pernambucano, em troca do apoio do PSB para a eleição de governador em Minas Gerais e da “neutralidade” da legenda na disputa presidencial, Gleisi disse que Marília é uma “grande liderança que se revelou nesse processo, um grande quadro político, que deve se manter ‘firme’ na disputa”, mas disse que as conversas com o partido do atual governador, Paulo Câmara, que disputa a reeleição em Pernambuco, já vêm de muito tempo. 

“Em relação a essa movimentação com o PSB, isso já vem de uma articulação de muito tempo, não é de agora. Desde o ano passado a gente tem conversado com lideranças dos partidos de esquerda para resgatar uma aliança progressista e popular no Brasil, o que é necessário para enfrentar o golpe. Nós não vamos enfrentar os retrocessos que estamos vivendo hoje, o desmonte dos direitos, da Previdência, se a gente não tiver uma articulação de centro-esquerda no Brasil. O PT sozinho não consegue isso”, afirmou a senadora, após visitar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Curitiba.

Gleisi também afirmou que tanto o PT como o PCdoB mantiveram em aberto suas atas dos registros de candidatura, sem confirmarem os respectivos vices, aguardando decisão sobre as possibilidades de aliança ainda no primeiro turno com, por exemplo, a candidata Manuela D’Ávila para compor, como vice, a chapa do ex-presidente.

Vamos remeter a decisão para a executiva definir”, acrescentou. “E deve ser feita na véspera da inscrição da candidatura. O PCdoB também deixou a ata em aberto com a Manuela. Vamos continuar conversando e queremos conversar com o PDT também.”

Assista à reportagem da TVT: