Home Política Dilma deve disputar o Senado por Minas, e diz que não vai ‘dar moleza’ para a imprensa
valente

Dilma deve disputar o Senado por Minas, e diz que não vai ‘dar moleza’ para a imprensa

'A imprensa pactuou com meu golpe, e hoje fingem que não participaram. Mas não pensem que eu esqueci', disse a ex-presidenta
Publicado por Redação RBA
13:01
Compartilhar:   
Ricardo Stuckert
Dilma Senado

Dilma diz sua campanha vai servir para denunciar o golpe e as arbitrariedades contra Lula

São Paulo – A ex-presidenta DilmaRousseff (PT) confirmou nesta quinta-feira (28) que será pré-candidata ao Senado por Minas Gerais. Junto a parlamentares mineiros, ela afirmou a jornalistas que não vai “dar moleza” para a imprensa durante a campanha. Segundo Dilma, setores da imprensa fingem que não tiveram participação no golpe que a retirou da presidência.

“Não esqueci. Sei a campanha misógina e machista que fizeram contra mim. Não pensem vocês que eu aceito aquelas condições que impuseram à Manuela. Eu não aceito e não admito que aquilo seja chamado de imprensa livre num país decente como o nosso”, afirmou Dilma, sobre o espetáculo grosseiro a que foi submetida a pré-candidata do PCdoB no programa Roda Viva, da TV Cultura, na última segunda-feira (25).

Dilma afirmou que vai disputar o Senado por Minas Gerais por ser o seu estado de nascimento, lembrando que só saiu de lá quando foi perseguida pela ditadura. “Aqui (em Minas Gerais), nós vamos, mais uma vez, defrontar dois projetos para o Brasil”, disse a ex-presidenta, que na disputa poderá enfrentar o senador Aécio Neves (PSDB) em busca da sua reeleição, derrotado por ela em 2014 na disputa presidencial. 

Ela ainda justificou a sua decisão de participar do processo eleitoral por conta das arbitrariedades da Justiça cometidas contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e porque, segundo ela, as eleições são também um momento de interromper o “processo de golpe” que contribuiu para a “deterioração” das condições econômicas, políticas, sociais “e até civilizatórias”, no Brasil.