Você está aqui: Página Inicial / Política / 2018 / 05 / Manifestações nesta quarta pedem redução de preço do combustível. Governo aumenta

#Grevedospetroleiros

Manifestações nesta quarta pedem redução de preço do combustível. Governo aumenta

Entidades que compõem as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo exigem demissão de Pedro Parente e mudança da política de preços da Petrobras. Ato em São Paulo começa 18h na Paulista
por Redação RBA publicado 30/05/2018 15h16, última modificação 30/05/2018 17h09
Entidades que compõem as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo exigem demissão de Pedro Parente e mudança da política de preços da Petrobras. Ato em São Paulo começa 18h na Paulista
CUT-SP
ato contra preço da gasolina

Greve dos trabalhadores da Petrobras, na Refinaria de Capuava (Recap), em Mauá-SP

São Paulo – Diversas cidades do país realizam atos públicos nesta quarta-feira (30), organizados pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, além de centrais sindicais, em defesa da Petrobras, pela mudança da política de preços de derivados de petróleo praticada pela estatal e pela demissão imediata de seu presidente, Pedro Parente.

Em São Paulo, o protesto será na Avenida Paulista, em frente à sede da Petrobras. A concentração será feita às 18h em frente ao prédio da estatal no número 901. 

As manifestações ocorrem um dia antes de mais um aumento do preço da gasolina nas refinarias. O governo anunciou para esta quarta-feira (31) alta 0,74% no litro, que acumula reajustes de quase 10% em maio. "Uma afronta", diz a FUP. 

No estado de São Paulo, os petroleiros estão mobilizados para a greve de 72 horas que começou na madrugada desta quarta-feira. Em Americana, no interior paulista, a partir das 17h haverá um ato contra o aumento do combustível, na Praça Comendador Muller.

Em Campinas, a concentração será às 16h, no Largo do Rosário. Já em Peruíbe, no litoral sul do estado, os manifestantes se reúnem às 17h30 no terminal rodoviário da cidade. Ainda no interior do estado, Piracicaba também terá uma manifestação em apoio aos petroleiros, às 16h, na Praça do Terminal Central.

As frentes exigem a saída do presidente da companhia, Pedro Parente, e a realização de eleições livres, após ficar claro que o governo Temer não tem qualquer legitimidade para buscar saídas negociadas para a atual crise. 

Juntas, as duas frentes – que entre as entidades que as compõem estão a Central de Movimentos Populares (CMP), MSTMTSTUNE e Marcha Mundial das Mulheres (MMM) e centrais sindicais, entre as quais CUTCTB, e Intersindical.

Outras capitais

No Rio, haverá um ato no auditório da CUT-RJ, na Avenida Presidente Vargas, a partir das 18h.

Em Goiânia, as frentes realizarão uma manifestação na BR 153, no posto Capim Dourado, ao lado do Estádio Serra Dourada, às 17h. Já em Brasília-DF a concentração será às 16h, em frente à rodoviária da capital.

Na região Nordeste foram realizados diversos atos ainda pela manhã, casos de Natal-RN, Aracaju-SE e Teresina-PI. 

Em Florianópolis, a CUT, CTB e Intersindical convocaram a classe trabalhadora para a mobilização, a partir das 15h, no Largo da Catedral.

Confira abaixo o calendário do dia:

calendario.jpg