Missão

Nobel da Paz deve visitar Lula em Curitiba na quinta-feira

Argentino Adolfo Pérez Esquivel também é presidente do Organismo de Tutela Internacional dos Direito Humanos e pretende verificar as condições em que se encontra o ex-presidente preso

Ricardo stuckert/Instituto lula
Esquivel e Lula

Esquivel diz que Lula é perseguido “pelo que fez de certo para o Brasil”, e faz campanha por seu nome para o Nobel da Paz

São Paulo – O argentino Adolfo Pérez Esquivel, Nobel da Paz em 1980, deve visitar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na carceragem da Polícia Federal em Curitiba na próxima quinta-feira (19) para verificar se seus direitos fundamentais estão sendo respeitados.

Em ofício impetrado junto ao Supremo Tribunal Federal (STF), ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e à Justiça Federal de Curitiba, além do prêmio Nobel, Esquivel se arvora à condição de presidente do Organismo de Tutela Internacional dos Direito Humanos (Serpaj) e “amigo pessoal” de Lula para requerer a visita. 

Esquivel evoca ainda as chamadas Regras de Mandela, tratado das Organizações das Nações Unidas, do qual o Brasil é signatário, que regula direitos e tratamentos mínimos a serem dispensados aos presos. 

Ainda antes da prisão do ex-presidente, Esquivel declarou que Lula estava sendo perseguido “pelo que fez de certo para o Brasil” e que o PT e suas políticas públicas estavam sendo “criminalizados”, e também iniciou campanha para que Lula receba o Prêmio Nobel da Paz em 2018, que já conta com mais de 230 mil assinaturas em apoio.