Baleado no pescoço

Hospital solta boletim sobre vítima de atentado sem autorização da família

Presidente do PT-PR, Doutor Rosinha, critica vazamento de informação para imprensa.'Como é vítima de atentado, continua em risco de morte'

Arquivo da família
jeferson.jpg

Jeferson foi baleado no pescoço na madrugada deste sábado, durante atentado ao acampamento da vigília Lula Livre

São Paulo – O presidente do Partido dos Trabalhadores no Paraná, deputado federal Doutor Rosinha, criticou na tarde de hoje (29) o vazamento de boletim médico de Jeferson Lima de Menezes,  baleado no pescoço em atentado contra o acampamento Marisa Letícia, em Curitiba, na madrugada de sábado.

“A família pediu para todos que não façam visita e não autorizou o hospital a divulgar boletins. Mesmo assim, o hospital soltou nota. Não se pode divulgar informações sem autorização. Vítima de um ataque terrorista, ele continua correndo risco”, disse Rosinha. “O Hospital tem qualidade técnica, científica, e deve manter sua qualidade também no respeito ao sigilo de informações”.

Jeferson, que é dirigente do Sindicato dos Motoboys do ABC está internado no Hospital do Trabalhador, em Curitiba, vinculado à Secretaria Estadual da Saúde do Paraná.

Segundo o dirigente, que conversou com médicos, o quadro de Jeferson é “promissor. Há um bom prognóstico. Mas daqui para a frente, informações só serão dadas com autorização da família”, enfatizou, durante ato com senadores na vigilía Lula Livre.

Em reportagem publicada hoje no site da rádio Banda B, de Curitiba, há a informação de que “militante baleado em acampamento continua entubado, mas tem quadro estável, segundo hospital”.

E que, “de acordo com o comunicado (do hospital), os exames laboratoriais do paciente, que está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), não têm alterações. Ele segue em sedação leve e com um bom nível de consciência.”

Ontem o jornal Folha de S.Paulo também divulgou informações. Segundo a reportagem, teriam sido passadas pela Secretaria Estadual da Saúde do Paraná.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública do Paraná, Jeferson deverá depor quando estiver recuperado.

Moro e STF

Rosinha voltou a dizer que todo o trauma político e individual que cada um dos apoiadores do ex-presidente Lula está sofrendo tem como responsáveis o juiz federal de primeira instância Sérgio Moro e o Supremo Tribunal Federal, que “tem se acovardado”. 

Fazendo referência ao novo pedido da prefeitura de Curitiba para transferência de Lula para outro local, ele alfinetou: “Quando um curitibano se queixar da nossa presença aqui, eu tenho a dizer o seguinte: você não queria o Lula aqui? Só que ele não veio sozinho. Ele veio com seus amigos e suas amigas”.

 

Leia também

Últimas notícias