Você está aqui: Página Inicial / Política / 2018 / 03 / Maioria discorda de condenação e prisão de Lula, diz pesquisa

CUT/Vox Populi

Maioria discorda de condenação e prisão de Lula, diz pesquisa

Para 56%, processo e condenação do ex-presidente têm motivação política. E 49% defendem que ele não seja preso
por Redação RBA publicado 02/03/2018 14h38, última modificação 02/03/2018 17h56
Para 56%, processo e condenação do ex-presidente têm motivação política. E 49% defendem que ele não seja preso
Roberto Parizotti/CUT
Lula

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve pré-candidatura confirmada em janeiro, um dia após julgamento no TRF4

São Paulo – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve ter o direito de ser candidato à Presidência da República. É esta a opinião de 54% dos brasileiros, eleitores ou não de Lula, ouvidos em pesquisa divulgada nesta sexta-feira (2) pelo Instituto Vox Populi. Afirmam que ele deve ser impedido de se candidatar 37%, segundo o levantamento feito a pedido da CUT entre 24 e 26 de fevereiro – um mês depois da condenação de Lula em segunda instância pelo Tribunal Federal Regional da 4ª Região (TRF4).

Para 62%, o ex-presidente “acertou muito mais do que errou” em seus governos, enquanto 29% disseram que cometeu mais erros do que acertos. A sondagem constatou ainda que mais de 90% sabem da condenação ratificada pelo TRF4 em 24 de janeiro, e que 56% observam que o processo tem “motivação política” (para 32%, o tratamento foi “normal”).

Em 25 de janeiro, um dia depois da decisão do TRF4, o PT oficializou a pré-candidatura de Lula. Quase metade dos entrevistados (48%) espera que o petista seja julgado pelo voto popular, e não pelo Judiciário, e 41% discordam dessa opinião – 52% dos brasileiros acreditam que o nome de Lula estará na urna eletrônica em outubro, mas 33% já duvidam que ele consiga ser candidato. O motivo desta avaliação é explicado em outra impressão manifestada pelos pesquisados: 46% deles veem um tratamento mais duro dos juízes a Lula do que em relação a outros políticos, e 40% consideram haver tratamento igual.

Ainda assim, 49% consideram a condenação injusta e defendem que o ex-presidente não deveria ser preso, como pedem o juiz Sérgio Moro e os desembargadores do TRF4; 36% pensam o contrário. Para 48%, aliás, qualquer cidadão só poderia cumprir pena de prisão depois de ter sua condenação confirmada pelos tribunais superiores (28% acham que a prisão deve ser imediata depois de uma condenação).

A pesquisa CUT/Vox Populi fez 2 mil entrevistas, em 118 municípios. A margem de erro é de 2,2%, estimada em um intervalo de confiança de 95%. Foram entrevistados brasileiros com mais de 16 anos, de áreas urbanas e rurais, de todos os estados e do Distrito Federal.

Confira íntegra da pesquisa: