ligações

Desembargador que condenou Lula foi homenageado por Moro em tese de doutorado

Gebran Neto rejeitou todos os argumentos da defesa, e aumentou a pena do ex-presidente. Ele é chamado de 'amigo' pelo juiz de Curitiba e afirma não haver necessidade de provas concretas para a condenação

reprodução
Tese de Moro

A referência de Sergio Moro ao ‘amigo’ Gebran Neto em trabalho acadêmico

Mídia Ninja – João Pedro Gebran Neto, um dos três desembargadores responsáveis pelo julgamento de Lula nesta quarta-feira (24), ignorou a falta de provas do processo e declarou seu voto favorável à sentença imposta por seu amigo pessoal Sergio Moro, condenando o ex-presidente à 9 anos de prisão.

O relator rejeitou todos os argumentos da defesa, e aumentou a pena do ex-presidente para 12 anos e 1 mês de prisão em regime fechado.

A proximidade dois dois rendeu homenagem na tese de doutorado do juiz Moro a seu amigo (confira a tese completa aqui), que afirma não haver necessidades de provas concretas, bastando indícios e o depoimento do réu em delação para confirmar a sentença condenatória.

A decisão do relator, caso confirmada pelos seus pares, terá como resultado o enquadramento do ex-presidente e pré candidato à presidência na Lei da Filha Limpa, tornando-o inelegível, no momento em que encabeça com mais de 20 pontos de diferença a primeira colocação na corrida ao Planalto.

O apoio popular à Lula cresce cada vez mais nas ruas do país, principalmente na porta do TRF4, em que milhares de manifestantes tomaram as ruas para apoiar o petista.

A tag #CadeAsProvas, que questiona a sentença de Moro, se tornou a mais comentada nas redes sociais e um mote de protesto em todo o país.