Você está aqui: Página Inicial / Política / 2017 / 10 / Lula enaltece defesa da soberania em evento de atingidos por barragens

rio de janeiro

Lula enaltece defesa da soberania em evento de atingidos por barragens

Ex-presidente critica morosidade da Justiça na tragédia de Mariana, em 2015. E desafia a "elite" que tenta tirá-lo da disputa: "Se não têm competência para governar, deixe o povo fazer isso"
por Redação RBA publicado 03/10/2017 11h08, última modificação 03/10/2017 11h24
Ex-presidente critica morosidade da Justiça na tragédia de Mariana, em 2015. E desafia a "elite" que tenta tirá-lo da disputa: "Se não têm competência para governar, deixe o povo fazer isso"
Ricardo Stuckert
lula no mab

Lula sobre pesquisas: 'Tenham coragem e disputem uma eleição. Vamos permitir que o povo possa votar'

São Paulo – Durante a abertura do 8º Encontro Nacional do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), nesta segunda-feira (2) no Rio de Janeiro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou a falta de punição aos responsáveis pela tragédia de Mariana (MG), que completa dois anos em novembro. "A justiça, quando é feita para desapropriar o movimento, é mais rápida, quando ela é feita pra favorecer o movimento tende a retardar. O que aconteceu lá em Mariana não pode se repetir", disse Lula.

Diante de 3.500 integrantes do movimento de 22 estados, Lula celebrou o fato de o MAB levantar a bandeira da soberania nacional, e exaltou a organização dos trabalhadores na atual conjuntura política. "Neste momento, é o movimento social que tem coragem de dizer à elite brasileira: 'Se vocês não têm competência para ganhar uma eleição, se vocês não têm competência de governar esse país, deixe o povo fazer isso, porque o povo sabe fazer isso'", afirmou.

O ex-presidente citou as pesquisas Datafolha do último sábado (30), que o coloca na liderança em todos os cenários previstos para as eleições do próximo ano à presidência. "Eles devem ficar assustados. Todo dia batem e imaginam que eu vou acabar. Daí fazem uma pesquisa e eu apareço com 35%. Aí hoje a Folha faz uma pesquisa em que pergunta se eu deveria ser preso. Se eles quiserem evitar que eu volte a ser presidente da República, não joguem rasteiro. Tenham coragem e disputem uma eleição. Vamos permitir que o povo possa votar", disse.

O senador Roberto Requião (PMDB-PR) endossou o discurso a favor do fortalecimento da soberania nacional e criticou o governo Temer. "É a matéria-prima da união contra o governo entreguista. Quando o MAB acorda pra isso, ele está mostrando que se insere definitivamente, não na luta particular contra a usurpação das barragens, mas em uma luta geral pela independência e soberania do Brasil", disse.

Lula também reafirmou a importância de ser realizado um plebiscito revogatório sobre as retiradas de direitos promovidas pelo governo. "Nós teremos de fazer um referendo revogatório, a começar pela PEC dos gastos, pela reforma trabalhista e pela venda da Eletrobras. Mesmo um golpista que tivesse o mínimo de dignidade não estaria vendendo um país como eles estão. Estão muito mais para mercadores do que para um governo."

Com informações do Instituto Lula e do MAB