SP à venda

Entidades promovem debates sobre ‘pacotão’ de privatizações de Doria

Mesa desta segunda-feira (25) discutirá o histórico negativo de concessões de equipamentos públicos à iniciativa privada

REPRODUÇÃO
ibira privatizações.jpg

Ibirapuera é colocado à venda em vídeo apresentado por Doria em Dubai

São Paulo – O Plano Municipal de Desestatização que aguarda sanção do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB)será tema de um ciclo de debates promovido por organizações da sociedade civil. A atividade se inicia nesta segunda-feira (25), na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP).

Em entrevista à Rádio Brasil Atual, Américo Sampaio, coordenador da Rede Nossa São Paulo, destaca que a privatização de serviços e equipamentos, como mercados, sacolões, terminais de ônibus e bilhete único, entre outros, está sendo planejada sem debate com a sociedade e sem a transparência do que está sendo passado à iniciativa privada.

“O mais grave é o fato de o projeto ser genérico, sem se ter clareza sobre quais itens serão passados à iniciativa privada, do tempo dessas concessões e também sem transparência sobre a capacidade técnica dos novos administradores”, explica o coordenador. “O que foi aprovado é um cheque em branco dado pela Câmara para o Executivo conceder um conjunto grande de serviços”, critica. 

O evento de hoje discutirá o histórico de equipamentos públicos que foram privatizados no decorrer dos anos, como o transporte coletivo e a limpeza da cidade. “Já existem serviços públicos que foram privatizados e não apresentaram resultados. O transporte foi concedido nos anos 1990 e até hoje ele tem uma qualidade ruim. Se a gestão privada fosse melhor, o transporte de São Paulo deveria ser impecável”, analisa.

Outro ponto que deve ser debatido, segundo ele, é a questão de transparência e do controle social. “No serviço público, a maioria permite um acompanhamento da população. Nos parques e praças há conselhos gestores eleitos. Quando você faz a concessão, um dos prejuízos é a questão da soberania popular.”

Os debates acontecem na Faculdade de Direito da USP, localizada no Largo São Francisco, centro de São Paulo. Os próximos dois eventos serão realizados nos dias 2 e 9 de outubro.