Você está aqui: Página Inicial / Política / 2017 / 09 / Senadores do PT protestam em plenário contra edição de 'O Globo'

REAÇÃO

Senadores do PT protestam em plenário contra edição de 'O Globo'

Para Gleisi, Lindbergh e Viana, intuito foi tirar o foco das atenções da PGR sobre falhas na delação de Joesley Batista. “É vergonhoso”, diz Gleisi. “Que os donos do grupo Globo ponham a mão na consciência”, afirma Viana
por Hylda Cavalcanti, da RBA publicado 06/09/2017 17h22
Para Gleisi, Lindbergh e Viana, intuito foi tirar o foco das atenções da PGR sobre falhas na delação de Joesley Batista. “É vergonhoso”, diz Gleisi. “Que os donos do grupo Globo ponham a mão na consciência”, afirma Viana
divulgação/alessandro dantas
senadores do pt.jpg

Gleisi, Viana e Lindbergh: mídia deturpa fatos e confunde a população para prejudicar a imagem do PT

Brasília – Senadores como Gleisi Hoffmann (PT-PR), Lindbergh Farias (PT-RJ) e Jorge Viana (PT-AC) ocuparam hoje (6) o plenário do Senado para protestar contra o que definiram como ações diversas da mídia e da Procuradoria-Geral da República (PGR) adotadas com o intuito de deturpar e confundir a população para prejudicar e criar falsa imagem sobre o PT. Eles questionaram, principalmente, a capa da edição desta quarta-feira do jornal O Globo.

A publicação editou em sua manchete a denúncia apresentada na noite de ontem pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra políticos petistas, mas ilustrou a página com foto do dinheiro apreendido em Salvador, que seria do ex-ministro Geddel Vieira Lima, ligado ao presidente Michel Temer – publicado em um texto à direita, sem destaque e sem evidenciar o nome de Geddel.

Apesar de Geddel Vieira Lima ter sido presidente da Caixa Econômica no governo Dilma Rousseff, o dinheiro apreendido é investigado por suspeita de ser resultado de propina recebida por ele durante o período em que foi ministro de Temer, ocasião em que trabalhava no mesmo andar do presidente da República. Ele deixou o cargo depois de ter sido denunciado por envolvimento em esquemas de corrupção.

“O grupo Globo deveria sentir vergonha ao tentar ligar o caso de Geddel ao PT. Este mesmo sentimento de vergonha também deveria se estender por parte da Globo ao apoio que o grupo deu a todo o processo de impeachment contra Dilma Rousseff”, disse Gleisi, atual presidente nacional do partido.

Lindbergh Farias levou um exemplar para o plenário, onde apontou a página. “Quem olha a capa de passagem tende a ligar o dinheiro pego no apartamento do ex-ministro aos membros do PT”, afirmou.

O senador ressaltou que por trás da decisão de Janot de apresentar denúncia contra os ex-presidentes Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva (além de seis outros integrantes do PT) está o interesse do procurador-geral de desviar o foco de outros fatos graves que incriminam o próprio Ministério Público.

“O intuito foi fazer com que as atenções se voltassem parra os fatos graves observados com a desmoralizada delação que a Procuradoria Geral da República (PGR) firmou com o empresário Joesley Batista, do grupo JBS”, destacou. 

Lindbergh reiterou outras declarações de colegas de partido de que a denúncia apresentada contra os petistas não contém provas e disse ter estranhado que tenha sido apresentada pelo procurador no momento em que a PGR está no centro das atenções por falhas que comprometem a delação do empresário da JBS.

Abuso de autoridade

O senador fluminense lembrou o fato de no mesmo dia a Polícia Federal ter encontrado R$ 51 milhões em um apartamento que teria sido emprestado ao ex-ministro Geddel Vieira Lima, próximo de Temer. E, ainda, a decisão da Câmara dos Deputados de negar autorização para que o Supremo Tribunal Federal processasse Temer, que teve seu assessor Rodrigo Rocha Loures flagrado com uma mala de dinheiro.

Já Jorge Viana pediu ao STF que passe a agir “contra o abuso de autoridade e as ilegalidades cometidas, pondo na cadeia aqueles que estão afrontando o cidadão brasileiro”, em relação à apreensão de R$ 51 milhões supostamente atribuído a pagamentos feitos a Geddel.

“Hoje deveria ser um dia de se parar tudo e o Supremo ver o que fazer. Se a decisão for anular acordos, que anulem. Se for prender pessoas, que prendam, mas essas trapalhadas todas, com desdém contra os brasileiros, não podem resultar em nada”, destacou.

Viana criticou o Congresso e lembrou da proposta de lei de abuso de autoridade. “Nesta Casa, lamentavelmente a gente não se entende para fazer leis mais duras contra abuso de autoridade, leis mais firmes que deem respaldo para toda autoridade que combater a corrupção. Esse é o equilíbrio necessário”.

Em relação à primeira página de O Globo, o senador disse que embora sempre tenha respeitado a imprensa, espera que “os donos do complexo Globo ponham a mão na consciência e vejam o que fizeram na capa do jornal de hoje”.

“Pegar aquela dinheirama e querer fazer um joguete de foto com manchete para atingir a presidente Dilma... aquilo não se faz”, ressaltou.

Com Agência Senado