Home Política Advogado diz que para depor Palocci usou papel com frases anotadas
delação pressionada

Advogado diz que para depor Palocci usou papel com frases anotadas

“O depoimento não merece nenhuma credibilidade, é um depoimento apenas para agradar aos procuradores e obter a delação premiada”, diz o advogado de defesa do ex-presidente Lula
Publicado por Redação RBA
13:14
Compartilhar:   
divulgação
cristiano2.jpg

Zanin lembra que em depoimento de Palocci em maio, a versão é totalmente diferente da apresentada ontem

São Paulo – Ao sair do depoimento do ex-ministro Antonio Palocci, ontem (6) ao juiz Sergio Moro, em Curitiba, o advogado de defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Cristiano Zanin Martins, gravou vídeo em que desqualifica a versão apresentada por Palocci.

Além de dizer que Lula tinha um “pacto de sangue” em torno de um terreno para o Instituto Lula, um sítio para a família do ex-presidente e R$ 300 milhões em dinheiro sujo, Palocci tentou sustentar que ele e o ex-presidente se empenharam em obstruir os trabalhos da Lava Jato.

Zanin lembra que em depoimento de Palocci em maio deste ano, a versão apresentada é totalmente diferente da apresentada ontem. “Já no início da audiência, o Ministério Público reconheceu que está negociando um acordo de delação premiada com o ex-ministro, portanto, a versão que ele apresenta hoje aqui é uma versão que nitidamente é diferente e busca destravar o acordo de delação”, afirma Zanin. “A nova versão é diferente apenas para conseguir o benefício. Palocci está sob intensa pressão, está preso, e quer obter o acordo de delação premiada.”

Zanin destacou que Palocci prestou o depoimento com frases anotadas em um papel, para poder dizer na audiência, como foi o caso da expressão ‘pacto de sangue’. “Ele trouxe isso nas suas próprias anotações, era algo já ensaiado, já imaginado para ser prestado na audiência. Não há qualquer compromisso com a verdade por parte do ex-ministro.”

Zanin também destaca que a versão apresentada ontem, diferente da de alguns meses atrás, colide com a versão apresentada por testemunhas e outros réus. “Por exemplo, aquilo que Palocci disse em relação a Emílio Odebrecht foi expressamente negado por Emílio em seu depoimento, prestado com o compromisso de dizer a verdade”, afirma.

“O depoimento não merece nenhuma credibilidade, é um depoimento apenas para agradar aos procuradores e obter a delação premiada”, diz Zanin. No próximo dia 13, Lula estará em Curitiba e terá a oportunidade de esclarecer a verdade dos fatos, defendeu ainda Zanin.

Confira o vídeo do advogado de defesa de Lula: