Fiscalização

Tribunal de Contas aponta irregularidades em escolas e hospitais em SP

Maioria das escolas na região metropolitana da capital funcionava sem alvará dos Bombeiros e da Vigilância Sanitária, e metade dos hospitais estaduais estava com equipamentos fora de funcionamento

Arquivo/Gov SP
merenda

TCE-SP indicou que 23% das escolas da região não estocavam alimentos adequadamente

São Paulo – Fiscalizações realizadas pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP) em 39 escolas municipais e estaduais da região metropolitana da capital mostram que 92% das unidades vistoriadas não possuíam alvará do Corpo de Bombeiros válido e 87% funcionavam também com o alvará da Vigilância Sanitária vencido. O tribunal indicou ainda que 23% das escolas da região não estocavam alimentos adequadamente. 

A inspeção apontou também problemas na área da saúde. Cinco das 10 unidades visitadas pelos técnicos do tribunal – entre hospitais e ambulatórios médicos de especialidades (AMEs) controlados pelo governo estadual – trazia equipamentos quebrados, antigos ou sem uso, e um em cada dez médicos não cumpria a escala de trabalho.  

Os dados serão divulgados nesta quinta-feira (6), em Suzano, na Grande São Paulo, durante a sétima reunião do Ciclo de Debates com Gestores Públicos e Lideranças Políticas do TCE-SP, e são resultado de estudo comparativo inédito entre 31 municípios da região. 

O levantamento, feito a partir de fiscalizações realizadas pelo tribunal no ano passado e das conclusões do Índice de Efetividade da Gestão Municipal (2015) do TCE, inclui ainda informações sobre irregularidades no transporte escolar e no gerenciamento do lixo.