Home Política Temer na Alemanha: ‘Não existe crise econômica no Brasil’
sem credibilidade

Temer na Alemanha: ‘Não existe crise econômica no Brasil’

Presidente, que participa da cúpula do G-20, dá sinais de desconexão com a realidade do país. Hamburgo, sede do encontro, assiste a protestos de manifestantes contra políticas econômicas recessivas
Publicado por Redação RBA
12:16
Compartilhar:   
Beto Barata/PR
temer e merkel.jpg

No Brasil, Temer vive uma ampla crise política, sendo denunciado por corrupção passiva

São Paulo – Depois de desembarcar na Alemanha para participar da cúpula do G-20, em Hamburgo, o presidente Michel Temer afirmou hoje (7) que “não existe crise econômica no Brasil”. “Pode levantar os dados e você verá que nós estamos crescendo, empregos, indústria, agronegócio. Lá (no Brasil) não existe crise econômica.”

Entre os sinais que desmentem o presidente, porém, está o IPCA de junho, divulgado hoje pelo IBGE e que aponta que, pela primeira vez em 11 anos, o país teve deflação.

O jornalista e correspondente internacional da RBA, Flávio Aguiar, acredita que a frase dita por Temer só aumenta sua falta de credibilidade. “Não sei em que planeta ele vive. Temer expõe o Brasil ao ridículo. Todo mundo sabe que existe uma crise econômica, política e de desemprego”, criticou.

Temer vive também uma ampla crise política, em que é alvo de denúncia de corrupção passiva apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR), tendo como base as delações de executivos da JBS.

Rebelião

Tim Lüddemann/FLICK CCblokcg20.jpg
Hoje, manifestantes tentaram bloquear ruas de Hamburgo

O clima na Alemanha é de tensão, devido à reunião dos 20 países mais ricos do mundo. A cidade de Hamburgo tornou-se, desde a última quarta (5), um palco de manifestações contra as políticas econômicas defendidas pelos governantes das maiores potências mundiais.

Ontem (6), eles receberam o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, com cartazes e faixas em que se lia “Bem-vindo ao inferno”. Milhares de manifestantes de diversos países da Europa estão na cidade. 

Hoje, os manifestantes tentaram bloquear os acessos ao local do encontro dos líderes do G-20 e interromper o tráfego portuário para a cidade, que é um importante centro comercial marítimo. Houve novamente repressão policial, com canhões de água, prisões e desmonte de acampamentos em que os grupos de outros países se instalaram.

Os organizadores alertam que as forças policiais reprimem manifestações pacíficas. Segundo Flávio Aguiar, também há presença de adeptos da tática black block nos atos, mas são minoria. “O centro de Hamburgo parece uma praça de guerra”, relata, em comentário à Rádio Brasil Atual.

Ouça:

 

Também à Rádio Brasil Atual, Paulo Niccoli Ramirez, professor de Ciências Políticas da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, disse que a avaliação de Temer sobre a situação econômica do Brasil demonstra que “o governo está perdido”.

“O índice de desemprego é um dos maiores da história, a inflação foi maior que o aumento real do salário. Essa frase demonstra o quanto o governo Temer vive fora da realidade. Ele só quer blindar a imagem do governo contra qualquer crítica.”

Ouça: