Reforma trabalhista

Senado retoma sessão. ‘Eles vão tratorar’, diz Gleisi

Presidente da Casa encaminha votação e oposição protesta

Alessandro Dantas (PT no Senado)
gleisi no senado em 11 de julho17.jpg

“A situação aqui vai ficar insustentável”, disse a senadora Gleisi Hoffmann (PR), presidenta nacional do PT

São Paulo – O Senado retomou às 18h35 a sessão sobre o projeto de “reforma” trabalhista (PLC 38), depois de mais de seis horas de interrupção. Algumas senadoras seguem ocupando a mesa diretora. O presidente da Casa, Eunício Oliveira (PMDB-CE), encaminha a votação sob protestos da oposição.

Pouco antes, Paulo Paim (PT-RS) tenta convencer as senadoras a sair. “Vocês foram heroínas. Nós fizemos um ato histórico hoje aqui”, afirmou o parlamentar. A sessão foi suspensa pouco depois do meio-dia.

 “A situação aqui vai ficar insustentável”, disse a senadora Gleisi Hoffmann (PR), presidenta nacional do PT por volta de 18h15, sem acreditar na possibilidade de um acordo para votação de destaque ao projeto, especialmente no item sobre proibição de gestantes ou lactantes em locais de trabalho insalubres. “Eles (base governista) não vão votar nenhuma emenda. Eles vão tratorar”, afirmou em rede social. “Vão agarrar o microfone e votar, ok. Façam esse espetáculo para o povo brasileiro.”

Senadoras de oposição abriram a sessão por volta das 11h e “ocuparam” a mesa diretora, se recusando a sair. O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), suspendeu a reunião e mandou apagar as luzes e cortar o som do plenário. Elas querem garantir a aprovação da emenda, o que, na prática, faria com que o PLC 38 voltasse à Câmara. 

Paim disse que conseguiu de Jáder Barbalho (PMDB-PA) um compromisso de discutir os destaques com votação nominal.