Home Política Procurador pede arquivamento de investigação contra Lula baseada em delação
Lava Jato

Procurador pede arquivamento de investigação contra Lula baseada em delação

Segundo Ivan Cláudio Marx, palavra de Delcídio do Amaral 'perdeu credibilidade' e ele tinha 'interesse' em encontrar fatos que o permitissem delatar terceiros, especialmente o ex-presidente
Publicado por Redação RBA
17:38
Compartilhar:   
Heinrich Aikawa/Instituto Lula
Lula

Lula foi vítima de “interpretação unilateral” do delator Delcídio do Amaral, segundo procurador do MPF

São Paulo – O procurador da República Ivan Cláudio Marx pediu nesta terça-feira (11), à Justiça Federal em Brasília, o arquivamento de procedimento investigatório criminal que apura acusação de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teria agido para obstruir a Operação Lava Jato.

A acusação da suposta tentativa de Lula é baseada em delação do ex-senador Delcídio do Amaral. Segundo o acusador, Lula tinha a intenção de “embaraçar” as investigações da Lava Jato. Mas, para Ivan Marx, essa é uma “interpretação unilateral do delator, não confirmada pelos demais participantes de uma reunião” no Instituto Lula da qual, segundo Delcídio, teriam participado os senadores Edison Lobão (PMDB-MA) e Renan Calheiros (PMDB-AL), que não confirmaram as acusações. 

“Não se pode olvidar o interesse do delator em encontrar fatos que o permitissem delatar terceiros, e dentre esses especialmente o ex-presidente Lula, como forma de aumentar seu poder de barganha ante a Procuradoria-Geral da República no seu acordo de delação”, acrescenta Ivan Marx no pedido.

O procurador da República informa que Renan Calheiros negou, em depoimento ao Ministério Público Federal (MPF), que na reunião relatada por Delcídio, em 2015, tenha sido discutida a criação de um grupo de “administração de crise” para acompanhar a Operação Lava Jato. Por sua vez, Edison Lobão negou que o tema “obstrução do andamento da Operação Lava Jato” tenha sido abordado em qualquer reunião com Lula.

Em seus argumentos, Ivan Marx é incisivo ao declarar que “a implicação do ex-presidente em possíveis crimes era sim do interesse de Delcídio”. O procurador observa: “Por isso, sua palavra perde credibilidade”.

O procurador diz ainda que não existe “nenhuma corroboração para a versão apresentada pelo delator (Delcídio), e nem mesmo a possibilidade de buscá-la por outros meios”. Diante do que relata, Ivan Marx conclui que não se pode falar em prática de crime e que o arquivamento da investigação “é medida que se impõe”.

Leia a íntegra do pedido de Ivan Marx à Justiça Federal: