Você está aqui: Página Inicial / Política / 2017 / 06 / Força Nacional e PMs cercam Esplanada dos Ministérios

Brasília

Força Nacional e PMs cercam Esplanada dos Ministérios

Cerca de 3.000 mil homens armados fazem a guarda dos ministérios, em dia nacional de paralisação. Entrada ao Congresso foi restringida
por Jornal GGN publicado 30/06/2017 11h02, última modificação 30/06/2017 11h27
Cerca de 3.000 mil homens armados fazem a guarda dos ministérios, em dia nacional de paralisação. Entrada ao Congresso foi restringida
Divulgação/MJ
guarda nacional

São 2.600 policiais militares e 400 homens da Força Nacional que reforçam a segurança na área central da cidade

GGN – Desde os primeiros minutos deste dia 30 de junho, um dia de greve geral, a Esplanada dos Ministérios está fechada. A interdição começa na Rodoviária do Plano Piloto, no sentido do Palácio do Planalto. A intenção é impedir a entrada de manifestantes. Policiais militares montaram cordões de revista nos acessos de pedestres ao local, tentando reprimir a entrada de qualquer coisa que possa servir como arma.

São 2.600 policiais militares e 400 homens da Força Nacional. Os PMs cuidam da área central da cidade e a FN faz a segurança patrimonial dos ministérios. No Congresso Nacional, foram suspensas as visitas, e o acesso à Câmara e ao Senado só é permitido a parlamentares, servidores e credenciados.

A CUT-DF (Central Única dos Trabalhadores do Distrito Federal) informa que pelo menos 13 categorias aderiram ao movimento, e a adesão do transporte público deve impactar no DF, com 100% dos ônibus e trens do metrô parados.

O juiz Renato Borelli, da 20ª Vara Federal Cível do DF, ontem determinou que, no mínimo, 30% da frota dos ônibus e metrô deveriam ser mantidos em circulação, mas a determinação não está sendo cumprida. O juiz fixou multa de R$ 2 milhões para cada sindicato que descumprir a ordem.

Os bancários também aderiram à greve e as agências do DF estão fechadas, com funcionamento somente do autoatendimento.

Com informações da Agência Brasil.