#MoroPersegueLula

Em Curitiba, Renata Sorrah tuíta: ‘Esperança vai vencer o medo, opressão e perseguição’

Deputada Maria do Rosário aponta posição parcial do juiz Moro: “Se se apresenta como anti-Lula, como pode ser juiz de Lula?' Hashtag #MoroPersegueLula fica entre temas comentados no mundo

Twitter

Atriz aparece em foto com os senadores Paulo Rocha e José Pimentel: “Minha Nazareth”, diz Zé de Abreu

São Paulo – Às 17h25 da tarde de hoje (10), a hashtag  #MoroPersegueLula estava no topo dos temas mais comentados do Twitter no Brasil e com forte alcance mundial. Por esta rede social, não foram apenas lideranças políticas tradicionais que se manifestaram. A atriz Renata Sorrah, por exemplo, tuitou: “Estou neste momento em Curitiba. Avante! “. Mais adiante, posta foto ao lado dos senadores Paulo Rocha (PT-PA) e José Pimentel (PT-CE) com mais um registro em Curitiba: “A esperança vai vencer o medo, vai vencer a opressão e a perseguição também! “. 

“Yep, minha Nazareth”, brinca, de seu retiro em uma ilha Grega, o ator Zé de Abreu, sobre a personagem marcante da carreira de Renata na novela Senhora do Destino. A atriz não está na capital paranaense para as manifestações em defesa de Lula – está em cartaz com a peça Krum, no Teatro Guairinha. Mas abraçou a causa dos visitantes de Curitiba. Seguindo a prosa, a jornalisa Cynara Menezes, do blog Socialista Morena, se antecipa aos comentários reacionários e avisa: “Nem adianta atacarem renata sorrah com lei rouanet, porque saiu o relatório da CPI e… NENHUM artista de esquerda”. 

A jornalista Milly Lacombe, que não atua na área política, mas esportiva, destacou em seu perfil: “Acho que não estamos mais divididos entre os que acham que é e os que acham que não é perseguição, mas entre os que concordam ou não com ela”, escreveu. Em outro tuíte, ela aponta para o preconceito utilizado como argumento contra o ex-presidente metalúrgico. “A implicância da vez é Lula ter ido de jatinho a Curitiba. As pessoas não percebem como estão infectadas de preconceito e intolerância.”

A deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) escreveu que “o povo lota as ruas de Curitiba  contra a perseguição de Moro ao presidente que mais fez pelo povo brasileiro”. Em seguida, acrescentou em outra publicação: “A Praça Santos Andrade está ocupada pela diversidade povo em defesa do estado democrático de direito”.

A deputada petista Maria do Rosário (RS) é uma dos inúmeros internautas que apontam para a posição parcial do juiz Sérgio Moro: “Se Moro apresenta-se como anti-Lula, como pode ser Juiz de Lula? Um processo repetitivo e viciado”.

O deputado Wadih Damous (PT-RJ), também na capital paranaense, lembrou a reputação do juiz Ricardo Augusto Soares Leite, que determinou a suspensão das atividades do Instituto Lula, no dia 5, em decisão divulgada ontem, coincidentemente na véspera do depoimento de Lula a Sérgio Moro. “Juizeco que interditou Instituto Lula não tem condição de ser juiz”, escreveu no Twitter.

Ontem, em seu blog, Nocaute, o jornalista Fernando Morais lembrou que o juiz substituto da 10ª Vara Federal do Distrito Federal, autor da decisão, foi denunciado pelo Ministério Público Federal e afastado de suas funções na Operação Zelotes.

“O que assusta no caso não é apenas a desfaçatez da decisão tomada a partir da ilação de que o Instituto ‘pode ter sido…’ isso ou aquilo. Espanta mais a folha corrida de Sua Excelência. É de fazer corar um frade de pedra, como se dizia antigamente”, escreveu Morais, citando matéria da jornalista Laura Capriglione, publicada pelo site Jornalistas Livres há quase um ano.

Leia também

Últimas notícias