Home Política Reprovação a Temer dispara, popularidade despenca
Ladeira abaixo

Reprovação a Temer dispara, popularidade despenca

Pesquisa do Ibope, feita a pedido da CNI, mostra que 73% desaprovam a maneira de governar e que 55% consideram gestão ruim ou péssima. E 79% afirmaram não confiar no presidente
Publicado por Redação RBA
14:27
Compartilhar:   
Marcelo Camargo/Agência Brasil
michel temer2.jpg

Temer: para CNI, governo paga custo político por promover reformas para impulsionar o crescimento do país

São Paulo – Pesquisa do Ibope, divulgada hoje (31) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostra que a reprovação a Michel Temer disparou. Apenas 10% dos entrevistados consideram o governo ótimo ou bom – eram 13% em junho do ano passado, o que mantém a margem de erro –, enquanto os que acham ruim ou péssimo passaram de 39% para 55%, chegando a 67% na região Nordeste.

Ontem, outra pesquisa, do instituto Ipsos, também indicou alta taxa de reprovação ao governo Temer e mostrou que o Brasil está no rumo errado para 90% dos brasileiros.

Segundo o Ibope, os que aprovam a maneira de governar passaram de 31% para 20%. A desaprovação subiu de 53% para 73%. À pergunta se confiam ou não confiam no presidente, 17% disseram “sim” e 79% responderam “não”.

Em outra questão, os pesquisadores pediram aos entrevistados que comparassem os governos Temer e Dilma. Para 18%, o atual é melhor, para 38% é igual e para 41%, pior – em junho do ano passado, esse último percentual era de 25%.

Em relação às perspectivas quanto ao restante do governo, mais da metade (52%) respondeu “ruim ou péssimo”, 28% consideraram “regular” e só 14%, “ótimo ou bom”.

A pesquisa habitualmente encomendada pela CNI trouxe uma novidade. Em seu material de divulgação, a entidade empresarial saiu em defesa do governo. Para a confederação da indústria, Temer paga um “custo político” por promover “as reformas necessárias para impulsionar o crescimento do país”.

Foram feitas 2 mil entrevistas em 126 municípios, dos dias 16 a 19. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.