trolagem

Haddad vence na Justiça comentarista da Jovem Pan em caso de trote na agenda

Juíza rejeita ação de improbidade administrativa ajuizada pelo Ministério Público por conta de mudança na agenda do prefeito para enganar o comentarista Marco Antonio Villa

JAILTON GARCIA/RBA
IMG_9877.jpg

Haddad: alteração na agenda para colocar em questão ataques gratuitos do comentarista da rádio

São Paulo – A juíza da 11ª Vara da Fazenda Pública, Carolina Duprat Cardoso, rejeitou ontem (23) ação de improbidade administrativa contra o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad. A ação foi ajuizada na Justiça paulista pelo Ministério Público do Estado, com base em alteração na agenda do então prefeito da cidade, em 16 de maio do ano passado.

A alteração, que consistiu em publicar que Haddad teria apenas despachos internos quando na verdade tinha eventos na rua, visava a dar um trote no comentarista da rádio Jovem Pan, o historiador Marco Antonio Villa, que naqueles dias vinha sistematicamente criticando o prefeito com base em informações de sua agenda. O próprio prefeito declarou que a intenção foi dar um trote no comentarista.

Na ação, o Ministério Público pedia indenização de R$ 72,5 mil, valor que corresponde a três meses da remuneração do prefeito, por dano moral, e ainda pretendia a perda da função pública de Haddad, bem como a suspensão de seus direitos políticos e proibição de contratar com o poder público.

A juíza, no entanto, não considerou que houve ato de improbidade. “O fato é que a falsidade das informações objeto de divulgação não ficou evidenciada pelos diversos documentos juntados, e a conduta não se revela gravosa ou ofensiva aos bens tutelados pelos princípios norteadores da Administração Pública a ponto de caracterizar ato de improbidade”, afirma a juíza em sua sentença.