rio de janeiro

Jandira confia em segundo turno no Rio: ‘a urna é a melhor pesquisa’

Última pesquisa de intenção de votos do Ibope mostra Marcelo Crivella (PRB) eleito para o segundo turno, com adversário – ou adversária – ainda indefinido

Twitter
jandira.jpg

Jandira Feghali vota, acompanhada de apoiadores do PT, Benedita da Silva e Lindbergh Farias

São Paulo – A candidata à prefeitura do Rio de Janeiro Jandira Feghali (PCdoB) chegou por volta das 9h para votar no colégio Angelorum, na Glória, Zona Sul do Rio, acompanhada pelo seu vice, Edson Santos, pelo senador Lindbergh Farias e pela deputada federal Benedita da Silva. Ela conversou com jornalistas e disse que tem expectativa de chegar ao segundo turno e que o apoio dos eleitores tem sido grande.

“Dia de urna eu não comento pesquisa. A urna é a melhor pesquisa que a gente tem”, disse. “Do início da rua até aqui, muitas declarações de voto. É o que eu senti ontem e anteontem e a campanha inteira, mas em dia de urna a gente espera a urna.”

De acordo com a última pesquisa de intenção de votos do Ibope, divulgada ontem (1º), Marcelo Crivella (PRB) iria para o segundo turno e o seu adversário está indefinido. A pesquisa aponta que Marcelo Freixo (Psol) está à frente com 12%, empatado tecnicamente com Pedro Paulo (PMDB), Flávio Bolsonaro (PSC) 8% e Índio da Costa (PSD) 8%. Jandira tem 5% das intenções de voto, segundo o levantamento.

Sobre o restante do domingo, Jandira afirmou que ela e seus apoiadores irão “circular, olhar a cidade, ver como que tá o clima do dia da eleição e depois nós vamos para o nosso comitê acompanhar a apuração.” Ela agradeceu o apoio da militância nas ruas, que considerou “sensacional”.  “É com ela que eu conto”, completou.

Candidatos

O candidato do PSOL, Marcelo Freixo, votou às 11h30 no Leblon, na zona Sul, e disse estar feliz com os resultados das pesquisas, que ele considerou “uma vitória”. Ele chegou acompanhado da vice, Luciana Boiteux e da namorada Priscilla Soares e foi recebido por militantes e outros apoiadores. “Só com 11s de TV foi possível essa vitória. Uma vitória Bolt (em referência ao corredor jamaicano) sobre o PMDB”, disse.

Freixo disse acreditar “ser muito possível chegar ao segundo turno” e atribuiu seus melhores resultados à militância na rua. “Tivemos capacidade grande de fazer com que as pessoas acreditassem que uma outra política é necessária. Ouvimos as pessoas. Durante um ano e meio. Acreditamos na democracia. Por isso nossa vitória é tão importante. Não é só uma troca de prefeito, mas de política e concepção de cidade.”

Crivella votou por volta das 10h, na zona Sul da cidade, acompanhado dos filhos, da mulher e da nora, e disse que ainda acredita na vitória já no primeiro turno. “É possível sim. Vai depender muito dos votos brancos e nulos. Se passarem de 20%, a chance aumenta.” Ele seguiu para a casa da mãe vai acompanhar a apuração na sede do partido.

O candidato do PMDB à prefeitura da cidade, Pedro Paulo Carvalho, votou às 9h50 na zona Oeste do Rio, acompanhado dos filho e do atual prefeito, Eduardo Paes. Ele se disse confiante em disputar o segundo turno das eleições com Marcelo Crivella (PRB), mas afirmou que qualquer prognóstico só será feito quando se encerram as votações, após às 17h.

“Vamos acompanhar as votações nessas regiões, vou andar com prefeito Eduardo Paes. Vamos disputar voto a voto, a eleição é muito aberta, com muitos candidatos”, afirmou. “O segundo turno é outra eleição. Vamos confrontar diretamente duas visões diferentes de cidade.”

O candidato do PMDB à prefeitura do Rio, Pedro Paulo Carvalho, votou por volta das 9h50 na Zona Eleitoral 182, na Taquara, na Zona Oeste do Rio. Segundo ele, este domingo (2) será dia de circular pela cidade, principalmente pelas Zonas Norte e Oeste.

“Vamos acompanhar as votações nessas regiões, vou andar com  prefeito Eduardo Paes. Vamos disputar voto a voto, a eleição é muito aberta, com muitos candidatos”, afirmou Pedro Paulo após a votação.

Ele se disse confiante em disputar o segundo turno das eleições com Marcelo Crivella (PRB), mas disse que qualquer prognóstico será feito após as 17h, quando se encerram as votações. “O segundo turno é outra eleição. Vamos confrontar diretamente duas visões diferentes de cidade”, afirmou Pedro Paulo.

Paes disse que se Pedro Paulo for eleito a transição vai começar imediatamente. “Pedro foi o capitão do time da prefeitura. Se ele ganha a eleição, novembro ele já senta na cadeira comigo e começa a governar. Ele representa a continuidade do nosso trabalho. Tenho muito orgulho do nosso trabalho à frente da prefeitura.”

O candidato pela Rede Sustentabilidade, Alessandro Molon, chegou para votar em Copacabana, na Zona Sul, às 9h55, e se disse confiante. Ele preferiu não antecipar eventuais apoios no segundo turno caso não vá para a disputa. “O segundo turno está totalmente indefinido. Então só vamos falar de segundo turno quando a apuração for concluída. Nossa expectativa é de crescimento nessa reta final”.

Com informações do G1.