ódio

Após agressão, Letícia Sabatella lamenta aumento da intolerância: ‘Sinto muito por eles’

Atriz foi vítima de insultos por grupo que se concentrava para pedir o afastamento definitivo de Dilma Rousseff

Facebook/Reprodução
Letícia

Desde o início do processo de impeachment, Letícia vem se posicionando contra o golpe

São Paulo – Após ter sido vítima de insultos e agressões por um grupo de manifestantes pró-impeachment ontem (31), em Curitiba, ao prestar depoimento, no 1º Distrito Policial, a atriz Letícia Sabatella lamentou o crescimento da intolerância política, principalmente em setores da direita: “Sinto muito por eles estarem vendo as coisas dessa maneira, com tanto ódio”.

“Acho ruim até para as pessoas que estão experimentando esse ódio todo contra alguém que elas nem conseguem olhar no olho”, afirmou. A atriz afirmou que são muitas as pessoas que “estão de algum modo sofrendo as consequências desse golpe que está acontecendo no Brasil”, e citou os índios guarani-kaiowá e os sem-terra como vítimas de “injustiças, prisões e mortes”.

Ela ainda comparou o clima negativo entre os manifestantes da direita e um “mais “acolhedor” entre aqueles que protestavam contra o golpe e contra o governo interino de Michel Temer.

A agressão, que foi filmada pela atriz e divulgada nas redes sociais, ocorreu no inicio da tarde de ontem, quando ela teria parado para conversar com um conhecido. Ela então foi cercada e insultada por um grupo de pessoas vestidas de verde e amarelo, em frente ao Teatro Guaíra, na Praça Santos Andrade, e precisou ser escoltada pela Polícia Militar.

“Sem-vergonha, “acabou a mamata”, “sua puta”, “chora, petista”, “nossa bandeira jamais será vermelha”, e “vai embora, tira ela daí” foram alguns dos insultos e xingamentos proferidos contra a atriz, que rebateu: “Vocês não são democráticos”. Um homem que passa vai em direção à atriz e a chama de “puta”.

Desde o início do processo de impeachment, Letícia vem se posicionando contra o golpe, participando inclusive, de iniciativas de protesto como o Canta a Democracia, em que um conjunto artistas denuncia a ruptura institucional e se manifesta contra o governo interino.

“Não fui provocar ninguém, passava pela praça antes de começar a manifestação e parei pra conversar com uma senhora. Meu erro. Preocupa esta falta de democracia no nosso Brasil. Eles não sabem o que fazem”, escreveu a atriz ao postar o registro da agressão no Instagram. Confira o vídeo:

Com informações do Brasil de Fato

Leia também

Últimas notícias