no mundo

Intelectuais franceses assinam manifesto contra o golpe no Brasil

Documento denuncia 'golpe legal' como estratégia das elites latino-americanas para chegar ao poder, colocando avanços sociais em risco

reprodução/DCM
contra o golpe

Brasileiros residentes na França já haviam denunciado o golpe e agora contam com o apoio de intelectuais locais

São Paulo – Intelectuais franceses das mais diversas áreas, dentre economistas, sociologos, filósofos e médicos, de inúmeras instituições de ensino e órgãos públicos, divulgaram manifesto contra o golpe de estado no Brasil, prestando solidariedade à democracia e aos movimentos sociais brasileiros que denunciam a ruptura institucional representada pelo impeachment sem base legal levado a cabo contra a presidenta Dilma Rousseff.

A prática do golpe de Estado legal parece ser a nova estratégia das oligarquias latino-americanas. Após Honduras e Paraguai, foi a vez do Brasil”, aponta o documento, que também declara que a instabilidade política coloca em risco os ganhos sociais conquistados nos últimos anos. “Alguns chegam a pedir a abolição do programa social Bolsa Família e das medidas implementadas pelo PT para reduzir as desigualdades.”

O manifesto afirma que as práticas imputadas à Dilma são “rotineira de todos os governos brasileiros” e não configuram crime de responsabilidade, e que a operação Lava Jato abrange investigações contra todos os partidos, mas foi instrumentalizada pela direita para enfraquecer o governo e propiciar o golpe.

Também sobram críticas ao governo provisório: “O atual presidente interino, Michel Temer (líder do PMDB), já formou seu governo, composto unicamente por homens brancos, ricos e de meia-idade. Logo em seus primeiros dias, o governo de Temer aboliu o Ministério da Cultura e o Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos, e anunciou uma redução significativa nos gastos do Sistema Único de Saúde (SUS), equivalente à Seguridade Social na França.”

A íntegra do manifesto e seus signatários pode ser acessada aqui.


Leia também

Últimas notícias