eleições 2016

Suplicy deixa secretaria de Direitos Humanos da cidade de São Paulo

beatriz baptista/adunesp Suplicy quer concorrer ao cargo de vereador paulistano São Paulo – O secretário municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo, Eduardo Matarazzo Suplicy, anunciou ontem que […]

beatriz baptista/adunesp
suplaa.jpg

Suplicy quer concorrer ao cargo de vereador paulistano

São Paulo – O secretário municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo, Eduardo Matarazzo Suplicy, anunciou ontem que está entregando o cargo a partir de hoje (2) ao prefeito Fernando Haddad, lançando-se como pré-candidato a vereador nas eleições deste ano. Suplicy ainda terá de passar pela convenção do PT para consolidar a candidatura, mas a entrega do cargo cumpre regulamento eleitoral, que prevê a desincompatibilização seis meses antes do pleito. “Mas se você e o partido acharem que devo ser candidato a vereador eu me disponho também”, disse Suplicy, sobre a conversa que teve com Haddad, na qual ganhou apoio para a candidatura.

Ao participar ontem, em São Paulo, do ato para a instalação da Comissão da Verdade da Adunesp, entidade que representa os docentes da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp), o secretário se disse otimista sobre a crise política que envolve o governo da presidenta Dilma Rousseff, sobretudo por ter participado da mobilização na Praça da Sé na quinta-feira (31), contra o impeachment da presidenta.

“Percebi um ânimo muito forte de todos os que estavam lá”, afirmou. “Esse ato vai irradiar outras ações no sentido do respeito ao resultado das urnas”. Suplicy lembrou a trajetória dos comícios da campanha Diretas Já, em 1984, que em seu clímax chegou a reunir aproximadamente 1 milhão de pessoas em cada um de dois atos, um na Candelária, no Rio de Janeiro, e outro no Vale do Anhangabaú, em São Paulo. “E todos cantávamos o hino do Geraldo Vandré”, lembrou, em referência à música Pra não Dizer que não Falei das Flores (Caminhando).