armação

‘Adversários são incapazes de acusar Dilma de corrupção’, diz New York Times

Jornal norte-americano destaca que presidenta é uma das raras figuras políticas não acusadas de enriquecimento ilícito no país, e que golpistas alegam manipulação orçamental para justificar o impeachment

Arquivo/Agência Brasil
Dilma

‘Dilma é uma das raras figuras políticas no Brasil que não estão enfrentando acusações de enriquecimento ilícito’

Fórum – O jornal The New York Times divulgou ontem (12) uma reportagem em que destaca o resultado da votação do relatório de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff. A publicação ressaltou que os ânimos estavam exaltados durante a sessão, que terminou com 38 votos favoráveis e 27 contra o afastamento de Dilma.

Diante do confuso cenário político, a reportagem reforçou a ironia da situação: “Incapazes de acusá-la por corrupção, seus adversários estão tentando impeachment por manipulação orçamental envolvendo o uso de recursos de bancos estatais para cobrir lacunas de orçamento. Deve-se lembrar que Dilma é uma das raras figuras políticas no Brasil que não estão enfrentando acusações de enriquecimento pessoal ilícito.”

O texto segue explicando que aliados da presidenta denunciam que, nessas condições, o procedimento passa a ser considerado um golpe de Estado. “Se a medida de impeachment for aprovada na Câmara, o processo seguirá para o Senado, que decidirá o futuro da presidente. Se o Senado opta por avançar, Dilma será suspensa e substituída pelo vice-presidente, Michel Temer”, informou.