Você está aqui: Página Inicial / Política / 2016 / 04 / Maria Frô: 'Quem joga 54 milhões de votos no lixo vai para o lixo da história'

efeito manada

Maria Frô: 'Quem joga 54 milhões de votos no lixo vai para o lixo da história'

Blogueira e ativista segue a sessão da Câmara que vota o processo de impeachment e vê distanciamento dos parlamentares da vontade popular: "É um salve-se quem puder"
por Redação RBA publicado 17/04/2016 20h22, última modificação 18/04/2016 01h12
Blogueira e ativista segue a sessão da Câmara que vota o processo de impeachment e vê distanciamento dos parlamentares da vontade popular: "É um salve-se quem puder"
reprodução/twitter
cunha e temera.jpg

'Apesar de você, amanhã há de ser outro dia', diz Maria Frô, em referência a Cunha e Temer

São Paulo – "Apesar de você amanhã há de ser outro dia" afirmou, lembrando a canção de Chico Buarque, a ativista e blogueira Conceição Oliveira, do blogue Maria Frô, em referência aos deputados que hoje (17) votaram favoravelmente ao prosseguimento do processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff. Ela foi entrevistada pela Rádio Brasil Atual, na cobertura das manifestações populares em defesa da legalidade democrática. Para a ativista, a votação do processo do impeachment da presidenta Dilma Rousseff, no plenário da Câmara hoje (17), foi tomada por um "efeito manada", levando parlamentares a ampliar a votação pelo impeachment.

"Um Congresso fisiológico, votando só pelos seus próprios interesses e se dizendo em nome do povo", afirmou, para explicar que muitos parlamentares acabam seguindo a maioria em sua votação pelo prosseguimento do afastamento de Dilma. Fazem isso, de acordo com Conceição, pois não possuem ideologia. "Precisamos ter clareza que não tem como funcionar um governo progressista com um Congresso deste jeito. Esses caras não podem ser eleitos novamente", disse.

"Isso era esperado, é um salve-se quem puder", lamentou a ativista. Entretanto, em sua avaliação, haverá forte reação por parte dos setores da sociedade que se colocam em defesa da democracia. "Não vamos deixar o Cunha em paz. O Temer não tem legitimidade. Não respeitaremos este governo. Se eles não respeitam a regra, acabou, não tem como as pessoas acatarem um governo assim", afirmou.

Para Conceição, a saída para preservar a democracia, contra o golpe, continuará sendo em mobilizações em massa. Ela disse ainda que os parlamentares que votam pelo prosseguimento do impeachment sem base jurídica, "jogam 54 milhões de votos no lixo (...) e devem ir para o lixo da história. Nossa força está na nossa mobilização, que não vai parar."

"Esses indivíduos merecem o lixo da história. Eles não representam o povo. Insisto, mobilização. Nos sentimos roubados, roubaram nosso voto, a democracia e a cidadania", afirmou.