Você está aqui: Página Inicial / Política / 2016 / 03 / Em Porto Alegre, PT chama militância para as ruas no dia 13 deste mês

resistência

Em Porto Alegre, PT chama militância para as ruas no dia 13 deste mês

Militantes lotaram a sede municipal do partido em Porto Alegre em uma assembleia que terminou em ato público
por Marco Weissheimer publicado 04/03/2016 15h59, última modificação 04/03/2016 16h00
Militantes lotaram a sede municipal do partido em Porto Alegre em uma assembleia que terminou em ato público
Joana Berwanger/Sul21
sul21.jpg

Um novo ato público foi marcado para as 17h de hoje, no centro de Porto Alegre

Sul 21 – O PT decidiu nesta hoje (4) que realizará um grande ato de rua no próximo dia 13, em Porto Alegre, em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e contra o que considera uma tentativa de golpe em andamento no país. A decisão foi aprovada pela militância, que lotou a sede municipal do partido na capital gaúcha em uma assembleia que terminou em um ato público na rua Lima e Silva. A mobilização na sede municipal foi convocada na metade da manhã pelas redes sociais e reuniu militantes, dirigentes partidários, parlamentares e sindicalistas. O PT também decidiu realizar um novo ato público, às 17h desta sexta-feira, na Esquina Democrática, centro de Porto Alegre.

O presidente municipal do PT em Porto Alegre, Rodrigo Oliveira, pediu aos militantes que pintassem na hora uma grande faixa com a frase “Não vai ter golpe”, que foi estendida na rua. Raul Pont dirigiu-se à militância convocando-a para resistir à tentativa de golpe e à ofensiva contra Lula. “Vamos manifestar em alto e bom som nosso repúdio e indignação contra esse movimento fascista. A Rede Globo, principal artífice do golpismo, como a RBS, passou mais de quarenta minutos ontem requentando factoides para encher linguiça e preparar o que ia acontecer hoje. Pois estamos aqui reafirmando: não passarão, não liquidarão nosso partido.”

Um dos fundadores do PT no Rio Grande do Sul, Clovis Ilgenfritz também falou no ato e reforçou a convocação de Pont: “Estamos sendo desafiados para aquilo que fomos criados: lutar contra o grande capital e a exploração”.

Claudir Nespolo, presidente da CUT-RS engrossou o chamado de mobilização para o ato de hoje. “Neste momento, no Brasil inteiro estão acontecendo atos e mobilizações como esta que vão se multiplicar. Mexeram com nosso maior símbolo. Temos nossas broncas com a Dilma, mas elas vão virar pó, se eles quiserem consumar o golpe. Alguns bunda-moles do Ministério Público e do Judiciário decidiram substituir a oposição para dar um golpe. Pois terão a nossa resposta. Vamos colocar mais de 50 mil pessoas no parque da Redenção no dia 13 e botar pra correr os coxinhas”, afirmou o sindicalista.